sicnot

Perfil

Economia

Trabalhadores da Unicervi indemnizados ao fim de 17 anos

Trabalhadores da Unicervi indemnizados ao fim de 17 anos

Dezenas de trabalhadores da Unicervi juntaram-se esta quarta-feira à porta do Tribunal do Comércio em Lisboa. Esperavam pelo dinheiro devido pela distribuidora de Palmela e que recebem agora em cheque, ao fim de 17 anos. São mais de 1 milhão e 748 mil euros, entre salários em atraso e indemnizações por despedimento.

O processo começou em 1999 quando a Unicervi entrou em dificuldades.

Nessa altura, os funcionários aceitaram perdoar 20% do que a distribuidora de cerveja de Palmela lhes devia para tentar salvar a empresa que acabou por falir anos mais tarde. Só depois de um recurso para o Tribunal da Relação foi dada a prioridade aos 141 funcionários sobre os restantes credores.

Ainda assim o processo não termina com a compensação de funcionários uma vez que existem ainda cerca de 2 milhões de euros para distribuir por outros credores.

  • Economia portuguesa a crescer
    2:26
  • Os likes dos candidatos às autárquicas no Facebook
    4:00

    Autárquicas 2017

    Se há mais de 5 milhões de portugueses no Facebook, é natural que as autárquicas também passem pela rede social mais usada no país e no mundo. A SIC apresenta-lhe os 10 candidatos cujas páginas têm mais seguidores e, para a comparação ser mais justa, os que têm mais seguidores em Portugal - porque há também quem estranhamente tenha milhares de fãs em países como Egito, Filipinas ou Vietname.

  • Embaixador do Bangladesh pede ajuda aos portugueses no caso dos rohingya

    Mundo

    O embaixador do Bangladesh em Lisboa pediu esta sexta-feira aos portugueses que ajudem a resolver o problema dos rohingya. Desde o final de agosto, mais de 400 mil pessoas desta minoria muçulmana fugiram de Myanmar, a antiga Birmânia. O Bangladesh já tinha acolhido outros 400 mil refugiados e vê-se agora a braços com esta crise migratória. Pede por isso a Portugal que pressione Myanmar para aceitar de volta e em segurança os rohingya.