sicnot

Perfil

Economia

Turismo em Lisboa superior a exportações de calçado, diz Fernando Medina

O presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina, afirmou hoje que o setor do turismo em Lisboa, do ponto de vista da exportação, é atualmente superior às vendas ao exterior do setor do calçado.

© Hugo Correia / Reuters

Fernando Medina falava na mesa-redonda "Cidade e Turismo: retalho, um ativo turístico", no âmbito do VI Congresso da APED - Associação Portuguesa de Empresas de Distribuição, que termina hoje, em Lisboa, sob o mote "Crescer com o consumidor".

"O setor do turismo em Lisboa, do ponto de vista da exportação, se considerarmos a venda que é feita a estrangeiros que chegam hoje a Lisboa, é superior a todo o setor do calçado", afirmou o presidente da autarquia lisboeta.

O turismo de Lisboa tem uma receita bruta de 3.500 milhões de euros por ano, adiantou.

"Se consideramos que 70% tem origem" nos visitantes estrangeiros na região de Lisboa, então é "superior ao total das exportações do setor do calçado", concluiu Fernando Medina.

Por sua vez, o presidente do Turismo de Portugal, Luís Araújo, destacou o que é o melhor retalho para o turismo, destacando três pontos.

O primeiro, disse, é "a questão da experiência", a segunda é "a complementaridade", percebendo que "o retalho não é só a Avenida da Liberdade ou a Baixa" e, por último, "estar atento ao consumidor novo".

Já Renato Lira Leite, diretor-geral da Global Blue Portugal, considerou que a grande distribuição não está ainda orientada para o turismo de compras.

Para o vice-presidente da TAP, Luiz Mór, "uma cidade boa para o turismo tem de ser boa para o morador".

  • Paula Brito e Costa continua a trabalhar na Raríssimas

    País

    Depois de ter apresentado a demissão do cargo de presidente da Raríssimas, Paula Brito e Costa mantém-se a exercer funções na associação, apurou a SIC. Identifica-se agora como diretora-geral e já comunicou isso mesmo a alguns funcionários.

  • As IPSS são estruturantes no país. Fazem o que Estado não faz porque não pode, não quer, ou não chega a tudo. Chama-se sociedade civil a funcionar. E o Estado subsidia, ajuda, (com)participa, apoia. Nada contra. A questão é quando as IPSS e outras instituições, fundações, associações, federações e quejandas se tornam verdadeiras "indústrias".

    Pedro Cruz

  • O ano "saboroso" de António Costa
    0:51

    País

    António Costa diz que 2017 foi um ano "saboroso" para Portugal. Num encontro com funcionários portugueses, em Bruxelas, antes do Conselho Europeu desta quinta-feira, o primeiro-ministro realçou o que o país conquistou no último ano, no plano europeu, e que culminou com a eleição de Mário Centeno para a Presidência do Eurogrupo.

  • Lince ibérico esteve à venda no OLX

    País

    Um anúncio de venda de um lince ibérico, por 1.500 euros, foi publicado esta semana no site de classificados OLX, com uma morada de Alcoutim, no Algarve. A autenticidade da publicação não foi confirmada, mas em setembro foi encontrada a coleira de um lince ibérico precisamente em Alcoutim. As autoridades estão a investigar.

    SIC

  • Estabilização dos solos nas áreas ardidas
    1:58

    País

    Está a começar uma intervenção de emergência para estabilizar os solos nas áreas ardidas nos incêndios florestais. O trabalho das equipas que estão no terreno arrancou na zona da Lousã mas vai passar por vários concelhos como Pampilhosa da Serra e Vila Real.