sicnot

Perfil

Economia

EDP diz que chuva não basta para explicar bom primeiro trimestre

Os lucros da EDP aumentaram 11% no primeiro trimestre deste ano face ao mesmo período do ano passado, atingindo os 263 milhões de euros. O presidente da empresa, António Mexia, afirmou hoje que os resultados da elétrica no primeiro trimestre foram "muito fortes", realçando que não basta as condições meteorológicas favoráveis à produção em Portugal e Espanha para os explicar.

© Jose Manuel Ribeiro / Reuters

"No ano passado, os maus resultados não se deviam à falta de chuva, havendo quem falasse de má gestão. Este ano tivemos sorte [com a chuva e o vento]", lançou o presidente executivo, aludindo os comentários que atribuem o resultado do primeiro trimestre às condições climatéricas favoráveis.

Em conferência com os analistas, a decorrer em Londres, António Mexia explicou que "a existência de chuva não basta", realçando a redução de custos, o aumento da capacidade instalada e ainda o bom comportamento da EDP Brasil.

"Tivemos resultados muito fortes também na EDP Brasil", com muito boa eficiência da central Pecém.

Os lucros da EDP aumentaram 11% no primeiro trimestre deste ano face ao mesmo período do ano passado, atingindo os 263 milhões de euros, informou a empresa ao mercado na quarta-feira.

Em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a elétrica portuguesa indica que, ajustando estes resultados dos impactos não recorrentes tanto dos primeiros três meses de 2015 como dos primeiros três meses de 2016, os lucros da EDP seriam de 287 milhões de euros entre janeiro e março deste ano, um aumento de 28% face ao período homólogo do ano passado.

O EBITDA (resultados antes de juros, impostos, depreciações e amortizações) aumentou 14% no primeiro trimestre deste ano em termos homólogos, para os 1.130 milhões de euros, o que a empresa justifica com a "expansão do portfolio [carteira]" e com as "condições meteorológicas melhoradas na Ibéria e Brasil".

A dívida líquida caiu de 17,4 mil milhões de euros em dezembro de 2015 para os 17 mil milhões de euros em março de 2016, uma queda que foi "suportada essencialmente pelo recebimento dos montantes relativos à rotação de ativos assinada com a Fiera Axium em outubro de 2015 e pela estrutura de parceria institucional assinada em novembro de 2015".

Com Lusa

  • Drone inglês evita execução do Daesh na Síria
    2:08

    Mundo

    A Força Aérea britânica divulgou esta terça-feira um vídeo que mostra um drone a parar uma execução pública que estaria prestes a acontecer às mãos do Daesh, na Síria. As imagens, apesar de cortadas pelo Ministério da Defesa do Reino Unido, mostram várias pessoas na rua, uma explosão e, depois, a fuga.

  • Atrás das Câmaras em Fátima
    2:48
  • PS quer reconquistar poder em Vila Viçosa
    2:06

    Autárquicas 2017

    Ana Catarina Mendes insistiu na ideia de que o PSD escolheu um modo perigoso de fazer campanha, ao insistir nas críticas à lei da imigração. Ana Catarina Mendes, secretária-geral adjunta do PS, esteve esta quarta-feira em campanha no distrito de Évora.

  • Troca de argumentos entre Medina e Cristas marca campanha em Lisboa
    2:34

    Autárquicas 2017

    Esta quarta-feira o dia de campanha em Lisboa ficou marcado por uma troca de argumentos entre Fernando Medina e Assunção Cristas. O atual presidente da Câmara acusa a candidata do CDS de não respeitar os lisboetas por admitir que pode não exercer o cargo de vereadora até ao fim do mandato. Já Assunção Cristas garante que se for eleita cumpre o mandato até ao fim.

  • Furacão Maria já causou pelo menos nove mortes

    Mundo

    O furacão Maria já causou pelo menos nove mortos durante a sua passagem pelas Antilhas Menores, tendo baixando para uma tempestade de grau três depois de atravessar Porto Rico, segundo as autoridades.

  • Como mudar um templo com 135 anos e 2 mil toneladas... de lugar

    Mundo

    Um templo budista do século XIX é um dos mais populares em Xangai, na China. Visitado diariamente por milhares de pessoas, precisava de ser relocalizado para evitar que uma tragédia acontecesse. E mesmo pesando cerca de duas mil toneladas, a missão acabou por se provar possível.

  • Casal morre com horas de diferença depois de 75 anos de casamento

    Mundo

    George e Jean Spear morreram no passado dia 15 de setembro, no hospital de Queensway Carleton, em Ottawa (Canadá), depois de terem celebrado 75 anos de casamento em agosto. A britânica de 94 anos conheceu o candaniano em 1941, num salão de bailes, em Londres. George Spear servia as Forças Armadas durante a Segunda Guerra Mundial.

    SIC