sicnot

Perfil

Economia

Governo e sindicatos reúnem-se com 35 horas na agenda

As estruturas sindicais que representam os trabalhadores da Administração Pública reúnem-se hoje com representantes do Ministério das Finanças, com o processo de transição para as 35 horas semanais em cima da mesa das negociações.

(Reuters/Arquivo)

(Reuters/Arquivo)

As reuniões iniciam-se com a FESAP - Frente Sindical da Administração Pública (11:00), seguida da Frente Comum (14:30) e da frente sindical coordenada pelo STE - Sindicato dos Quadros Técnicos do Estado (16:00).

De acordo com a convocatória do executivo enviada às três estruturas sindicais da administração pública, esta ronda negocial, convocada no âmbito do processo de negociação coletiva geral, tem como ordem de trabalhos informação sobre o processo de transição para as 35 horas semanais e o regime de requalificação dos trabalhadores em funções públicas.

O horário de trabalho na Função Pública aumentou de 35 horas para 40 horas semanais em setembro de 2013, sem correspondente aumento de salário, tendo a medida sido viabilizada pelo Tribunal Constitucional.

A votação final global do diploma que repõe as 35 horas de trabalho dos funcionários públicos ficou marcada para dia 27 de maio, depois da garantia dada pelo primeiro-ministro, António Costa, de que o diploma entraria em vigor a 01 de julho.

Lusa

  • Manuel Valls diz que Trump fez declaração de guerra à Europa

    Mundo

    O antigo primeiro-ministro francês Manuel Valls, aspirante a candidato socialista às presidenciais deste ano, considerou esta segunda-feira como uma "declaração de guerra" as afirmações do futuro Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, sobre a União Europeia.

  • Morreu o último homem que pisou a Lua

    Mundo

    O astronauta norte-americano Eugene Cernan, o último homem a pisar a Lua, morreu esta segunda-feira aos 82 anos, informou a agência espacial norte-americana, NASA.

  • Novo motim em prisão brasileira do Rio Grande do Norte

    Mundo

    Um motim ocorreu esta segunda-feira de madrugada numa prisão do estado brasileiro de Rio Grande do Norte, sem fazer feridos ou mortos, depois de uma rebelião numa outra prisão do mesmo estado ter feito 26 mortos no fim de semana.

  • Cheias e derrocadas destroem várias casas no Peru
    0:42

    Mundo

    Um deslizamento de terras seguido de uma inundação destruiu várias casas no Peru. As imagens mostram o momento em que o deslizamento acontece e o caos que se gerou. O trânsito ficou cortado e as inundações que se seguiram obrigaram várias pessoas a abandonar as suas habitações.