sicnot

Perfil

Economia

Arábia Saudita vai manter política petrolífera, afirma novo ministro

A Arábia Saudita vai manter a sua política petrolífera, afirmou hoje o novo ministro da Energia, Indústria e Recursos Minerais saudita, Khaled al-Faleh, nomeado no sábado após o afastamento por decreto real do influente ministro do Petróleo.

© Ali Jarekji / Reuters

"A Arábia Saudita vai manter a sua política petrolífera estável", declarou Faleh, sublinhando que o reino saudita, o primeiro exportador mundial de petróleo, pretende "reforçar a posição de fornecedor de energia mais credível no mundo".

"Estamos empenhados em satisfazer a procura atual e adicional por parte dos nossos clientes mundiais", assegurou Faleh, que sucedeu no cargo a Ali al-Nouaimi.

Khaled al-Faleh foi durante vários anos presidente executivo do gigante petrolífero Saudi Aramco, uma empresa com aproximadamente 60 mil funcionários que assegura um oitavo da produção mundial de petróleo.

Ali al-Nouaimi, que foi ministro do Petróleo durante mais de duas décadas, foi um dos homens mais influentes no seio da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP), organismo confrontado nos últimos dois anos com a queda do preço do petróleo bruto.

Apesar do excesso de oferta nos mercados internacionais e da queda dos preços desde meados de 2014, a Arábia Saudita continuou a defender a sua quota de mercado.

Em abril último, os grandes produtores de petróleo reuniram-se em Doha, no Qatar, para tentar alcançar um consenso, mas não conseguiram chegar a acordo sobre uma eventual redução na produção para sustentar os preços.

A Arábia Saudita, então representada por Ali al-Nouaimi, insistiu, durante a reunião, num acordo vinculativo que incluísse todos os membros da OPEP, nomeadamente o seu rival Irão, que não compareceu à reunião.

No sábado, o rei Salman da Arábia Saudita decretou uma restruturação do governo saudita que incluiu, entre outras medidas, o afastamento de vários ministros e a nomeação de novos responsáveis, a dissolução do Ministério da Eletricidade e da Água e a designação de um novo governador do Banco Central saudita.

Lusa

  • Não há risco de colapso do viaduto de Alcântara
    1:35

    País

    O desvio de um pilar do viaduto de Alcântara obrigou esta quarta-feira ao corte do trânsito e da circulação de comboios da linha de Cascais. O estrago terá sido provocado por um camião que embateu na estrutura durante a noite. A circulação ferroviária foi retomada a meio da manhã, mas o viaduto só será reaberto esta quinta-feira.

  • Suspeito de homicídio à porta do Luanda foi ouvido em tribunal e ficou em preventiva
    1:36

    País

    O suspeito de ser o autor dos disparos que mataram um jovem junto à discoteca Luanda foi ouvido em tribunal e ficou em prisão preventiva. Segundo a investigação, tudo terá começado com um mero desacato, ainda dentro da discoteca, onde a vitima e o detido foram filmados a discutir. O homem de 23 anos está indiciado por dois crimes de homicídio, um na forma tentada.

  • Romeu e Julieta nasceram no mesmo dia e no mesmo hospital

    Mundo

    Na Carolina do Sul, nos EUA, dois bebés tinham o parto marcado para 26 de março mas decidiram nascer mais cedo: exatamente no mesmo dia, apenas com uma diferença de 18 horas. Os pais não se conheciam e, curiosamente, deram o nome aos recém nascidos de Romeo e Juliet (em português, Romeu e Julieta).

  • Gelo nos polos recua para recordes mínimos

    Mundo

    A extensão de gelo polar dos oceanos Ártico e Antártico atingiu recordes mínimos a 13 de fevereiro, perdendo o equivalente a uma área maior do que o México, informou esta quarta-feira a agência espacial norte-americana NASA.

  • Túmulo de Jesus Cristo restaurado

    Mundo

    Após 10 meses de obras de restauro, o túmulo onde Jesus Cristo terá sido sepultado foi esta quarta-feira revelado numa cerimónia na igreja do Santo Sepulcro, em Jerusalém.