sicnot

Perfil

Economia

Diamante em bruto atinge recorde de 55,3 milhões de euros

A companhia mineira canadiana Lucara Diamond anunciou hoje ter vendido por um preço recorde, 63 milhões de dólares (55,3 milhões de euros), um diamante com 813 carates, antes da venda esperada da venda de uma pedra ainda maior.

Este recorde não deverá sobreviver muito tempo, uma vez que a Lucara se prepara para vender um diamante ainda maior, chamado "Lesedi La Rona"

Este recorde não deverá sobreviver muito tempo, uma vez que a Lucara se prepara para vender um diamante ainda maior, chamado "Lesedi La Rona"

Lucian Coman

Nunca um diamante em bruto tinha atingido um tal preço, anunciou através de um comunicado citado pela agência France esta empresa cotada na Bolsa de Estocolmo.

O nome do comprador da pedra, descoberta no Botswana e batizada como "A Constelação", não foi revelado, assim como não foram divulgadas as condições da venda realizada pela empresa de diamantes, Nemesis Internacional.

Este recorde não deverá sobreviver muito tempo, uma vez que a Lucara se prepara para vender um diamante ainda maior, com 1.109 carates, no próximo dia 29 de junho na Sotheby's em Londres.

Este outro diamante em bruto, chamado "Lesedi La Rona", foi descoberto em novembro na mesma mina de Karowe, no Botsuana. É a maior pedra encontrada desde a "Cullinan", com 3.106 carats, descoberta na África do Sul em 1905.

As ações da Lucara na Bolsa de Estocolmo valorizavam 8,58 por cento hoje ao início da tarde face à cotação da véspera. A família sueca Lundin é a acionista de referência desta empresa canadiana de extração mineira.

Em outubro último, o "Blue Moon", uma pedra com 12,03 carats, de um azul vivo raríssimo, alcançou 48,4 milhões de dólares (42,5 milhões de euros), desembolsados pelo magnata de Hong Kong do sector do imobiliário, Joseph Lau.

Lusa

  • Reportagem Especial dá a voz aos despedidos da banca
    1:18
  • CEMGFA admite que várias armas roubadas estão em condições de ser usadas
    2:06

    Assalto em Tancos

    Afinal há várias armas roubadas em Tancos que estão em condições de ser utilizadas, sendo que apenas os lança-granadas-foguete estão obsoletos. Esta manhã, o general Pina Monteiro admitiu, no Parlamento, que a declaração que fez há duas semanas pode ter induzido em erro a opinião pública. O chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas (CEMGFA) diz, ainda, que se houvesse indícios sobre colaboração do Exército neste caso, os suspeitos estariam presos.

  • Pais de Charlie Gard querem que o bebé morra em casa

    Mundo

    Depois de terem renunciado à batalha judicial para manterem o filho com vida, os pais do bebé britânico Charlie Gard desejam agora levar a criança para morrer em casa. O desejo foi revelado pelo advogado de Chris Gard e Connie Yates, numa audiência esta tarde, no Supremo Tribunal de Londres. Contudo, o hospital responsável pelo caso admite que os cuidados a Charlie não podem ser feitos em casa.