sicnot

Perfil

Economia

Europa é uma "bicicleta sem ar nos pneus", alerta Martin Schulz

O presidente do Parlamento Europeu disse hoje que a Europa continua a ser uma "bicicleta, mas sem ar nos pneus" e receia que a união fique mais fraca devido às crises que atingem o continente europeu.

Reuters

"Pela primeira vez na história da Europa, não é certo que a União Europeia (UE) saia destas crises mais forte. Pode acontecer que fiquemos ainda mais fracos", disse ao Diário de Notícias o presidente do Parlamento Europeu, numa entrevista em que aborda as questões financeiras, a crise dos refugiados, o referendo sobre a permanência do Reino Unido na UE e a falta de unidade entre os Estados-membros.

"Continuamos a ser uma bicicleta, mas sem ar nos pneus. Temos inúmeros problemas para resolver. Continuamos a pedalar, mas os nossos instrumentos não estão na melhor forma", diz o alemão Martin Schulz quando confrontado com a imagem de que integração europeia é uma "bicicleta" que tem de continuar a andar para evitar cair.

Schulz explica que aqueles que querem destruir a União Europeia estão a ganhar eleições e acusa a "maioria" que acredita ma cooperação transnacional de se manter em silêncio contra uma minoria hostil muito "ruidosa".

"Venceremos se a maioria silenciosa puder ser novamente mobilizada pelos ideais [europeus]. O espírito desta comunidade -- de que juntos somos mais fortes -- está a perder-se cada vez mais. E esse é um dos problemas", refere, acrescentando que se verifica uma falta de unidade entre os vários Estados.

Na entrevista ao DN, o presidente do Parlamento Europeu diz que a União Europeia atravessa um "género de policrise", destacando que o euro é uma moeda forte, mas que o sistema monetário não é estável.

"Somos a região mais rica do mundo, mas a distribuição da riqueza não é justa nem equitativa", adianta.

A "policrise" segundo Schulz incluiu ainda a crise dos refugiados, um problema que, afirma, pode ser facilmente gerido distribuindo um milhão de pessoas pelos 500 milhões dos 28 Estados-membros.

"O que me irrita verdadeiramente é que alguns países que não estão a participar na redistribuição de refugiados e que contribuíram para criar esta crise, vêm depois criticar a União Europeia por não ser eficaz na gestão dos refugiados. Isto é mesmo cínico", acusa.

Sobre a permanência, ou não, do Reino Unido na UE, Schulz diz que os britânicos "são pragmáticos" e que a maioria vai votar "para ficar" na europa no referendo marcado para o dia 23 de junho.

  • Dia da Europa celebra-se hoje
    0:53

    Mundo

    Celebra-se hoje, dia 9 de maio, o Dia da Europa. Para João Tatá dos Anjos, chefe da Comissão Europeia em Portugal, a unidade do continente é a solução para fortalecer o peso da Europa a nivel internacional, numa altura em que o projecto europeu enfrenta várias crises, como a retoma lenta da economia e, mais recentemente, a crise humanitária dos refugiados.

  • Um pedido de desculpas aos portugueses e um ultimato ao Governo
    3:21
  • Vouzela tenta regressar à normalidade, 8 pessoas morreram no concelho
    2:28

    País

    No concelho de Vouzela, a população começa a voltar à normalidade. Aos poucos a luz e a água estão a voltar e as pessoas começam a ganhar forças para reconstruir aquilo que lhes foi tirado pelos fogos. No entanto, as feridas demoram a sarar e não será fácil esquecer que 80 a 90 por cento deste concelho foi destruído pelos incêndios e oito pessoas morreram.

  • Material de guerra de Tancos encontrado, faltam munições
    1:40
  • "Se os bombeiros não chegam, os vizinhos vão ficar sem casa"
    1:03
  • Madrid admite suspender autonomia da Catalunha
    1:51
  • Alemanha já tem uma versão de Donald Trump... em cera
    1:08