sicnot

Perfil

Economia

Crédito à habitação e consumo atingiu em março máximos de 5 e 6 anos

O crédito concedido para habitação e consumo ascendeu em março a 491 e 349 milhões de euros, atingindo máximos de cinco e seis anos, respetivamente, de acordo com os dados hoje divulgados pelo Banco de Portugal.

Segundo o Banco de Portugal, seria "necessário recuar a maio de 2011 e a dezembro de 2010 para se encontrarem volumes superiores de novas operações (536 milhões de euros e 406 milhões de euros, respetivamente)".

O crédito à habitação concedido em março representou um crescimento de 29% face ao mês anterior.

No total, o novo crédito a particulares ascendeu a 1,012 mil milhões de euros, segundo os dados do Banco de Portugal.

As novas operações de crédito para outros fins ascenderam a 172 milhões de euros, o valor mais elevado desde dezembro.

Nas novas operações de crédito concedido a particulares, as taxas de juro médias para as finalidades de habitação e consumo foram de 2,05% e 7,59%, respetivamente.

A taxa de juro relativa ao crédito concedido para habitação corresponde a um novo mínimo histórico.

Lusa

  • Tragédia de Vila Nova da Rainha foi há uma semana
    7:18
  • Escutas da Operação Marquês "não podem servir de prova"
    1:36

    Operação Marquês

    As defesas de José Sócrates e de Ricardo Salgado queixam-se que as escutas do processo Marquês estão infetadas por um vírus informático. Os advogados dizem que tal como estão as escutas não podem servir de prova. No entanto, o Ministério Público diz que estão reunidas as condições para começar a contar o prazo para a abertura de instrução.

    Luís Garriapa

  • Saco azul do BES pagou a 106 pessoas e 96 avenças ocultas
    2:21

    Economia

    Pelo menos 106 pessoas receberam dinheiro da Espírito Santo Enterprises, a companhia offshore criada nas Ilhas Virgens Britânicas e que terá funcionado como um gigantesco saco azul do Grupo Espírito Santo. O jornal Expresso revelou os primeiros vinte nomes da lista, entre os quais estão Zeinal Bava, antigo CEO da PT, e Manuel Pinho, ex-ministro da economia do Governo de José Sócrates.

  • Admirável mundo novo
    16:17