sicnot

Perfil

Economia

Cabify, concorrente da Uber, chega a Lisboa

Começa hoje a operar em Lisboa a Cabify, uma nova plataforma de transporte privado, concorrente da Uber. O secretário de Estado do Ambiente já disse que a operadora não tem cobertura legal para atuar em Portugal.

As associações de taxis consideram que a nova plataforma é ilegal, enquanto que a Uber diz que a concorrência é positiva para os consumidores e para as cidades

As associações de taxis consideram que a nova plataforma é ilegal, enquanto que a Uber diz que a concorrência é positiva para os consumidores e para as cidades

© Rafael Marchante / Reuters

http://www.cabify.es/

A plataforma espanhola de transporte privado Cabify, concorrente da Uber, vai estar disponível a partir de hoje em Lisboa, estando prevista para esta manhã a apresentação da empresa.

Segundo o site da Cabify, a empresa está já presente em cidades de Espanha, México, Colômbia, Chile e Peru e chega a Portugal quase duas semanas depois de uma manifestação de taxistas contra o serviço de plataformas como esta no país.

Ao nível de custo final para o cliente, de acordo com o mesmo site, o cálculo de uma viagem através desta plataforma tem em conta o ponto de partida e o ponto de chegada, independentemente do trajeto percorrido.

O secretário de Estado do Ambiente, José Mendes, já fez saber que aquela operadora não tem cobertura legal para atuar em Portugal.

Por seu lado, as associações representativas do setor do táxi (Antral e Federação Portuguesa do Táxi) também consideram que a Cabify está ilegal e irá prejudicar o mercado de serviços para os taxistas.

Já a Uber Portugal descreve a concorrência como "positiva para os consumidores e para as cidades portuguesas".

Com Lusa

  • As diferenças entre o táxi e o Uber
    3:04

    País

    O clima é de tensão entre taxistas e motoristas da Uber dura há vários meses. Na noite passada a SIC viajou com a Uber e de táxi por Lisboa. Ouviu as queixas e os receios de ambas as partes.

  • Taxistas criam grupo de trabalho para lidar com concorrência da Uber
    0:33

    País

    Uma semana depois da manifestação contra a Uber que paralisou Lisboa e Porto, taxistas e Governo reuniram esta manhã. À saída do encontro com o ministro do Ambiente, a Antral e a Federação Portuguesa do Táxi esclarecem apenas que foi criado um grupo de trabalho para discutir soluções para um enquadramento de outras plataformas.

  • Negócios do Fogo
    22:00
  • Direção da Raríssimas na Madeira demitiu-se em setembro
    1:58

    País

    Três representantes da Raríssimas na ilha da Madeira demitiram-se, em setembro, de costas voltas para a direção. A delegação da instituição na ilha começou em 2015 e fechou com as três demissões. Em entrevista à SIC, uma das antigas delegadas afirmou que todos os fundos angariados foram para a sede, em Lisboa, ficando depois sem dinheiro para pagas as despesas.

  • Deputado do PSD recusa vice-presidência da Raríssimas
    1:58

    País

    Nas reações políticas ao caso da Raríssimas, o PSD e CDS dizem que é preciso acionar todos os mecanismos legais apropriados para averiguar a situação. O deputado social-democrata, Ricardo Baptista Leite, que tinha sido convidado recentemente para vice-presidente da instituição, diz que já não há condições para tomar posse.

  • Presidente da Câmara de Nova Iorque confirma "atentado terrorista falhado"
    0:29
  • Israel volta a bombardear posições do Hamas em Gaza

    Mundo

    O exército israelita voltou a bombardear esta segunda-feira posições do movimento Hamas na Faixa de Gaza em resposta ao lançamento de projéteis em direção a Israel pelas milícias palestinianas, informou um comunicado militar.

  • A brincadeira de um youtuber que podia ter acabado mal

    Mundo

    Um jovem youtuber inglês enfiou a cabeça num saco de plástico, prendeu-a na parte interna de um microondas e encheu depois o eletrodoméstico com cimento. A brincadeira, que podia ter acabado de forma trágica, deixou o jovem completamente preso e obrigou à intervenção dos serviços de emergência.

    SIC

  • "Popeye" russo pode ter que amputar braços

    Mundo

    Um jovem russo injetou um óleo no corpo para conseguir ter músculos, mais propriamente nos seus braços, que já cresceram cerca de 25 centímetros. Contudo, segundo um médico, o procedimento pode levar à necessidade de amputação, deixando o jovem sem os membros.