sicnot

Perfil

Economia

Portugal conseguiu 1.150 milhões de euros em dívida a 10 anos

Portugal aproveitou esta manhã a procura dos investidores e conseguiu 1.150 milhões de euros, mais financiamento do que previa, à taxa de juro de 3,252%.

© Jose Manuel Ribeiro / Reuters (Arquivo)

Segundo a página da Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública (IGCP) na Bloomberg, a procura desta emissão atingiu 1.830 milhões de euros, 1,59 vezes superior ao montante colocado.

O IGCP tinha anunciado a realização de um leilão de Obrigações do Tesouro (OT) com maturidade a 21 de julho de 2026 com "um montante indicativo entre 750 a 1.000 milhões de euros".

A anterior emissão de OT a 10 anos foi colocada em março deste ano, altura em que o Tesouro colocou 621 milhões de euros a uma taxa de juro média de 3,138%, superior à de 2,42% verificada no leilão precedente, de 25 de novembro do ano passado.

No leilão de março, a procura atingiu os 993 milhões de euros, tendo sido 1,60 vezes superior ao montante colocado.

Para o diretor da gestão de ativos do Banco Carregosa, Filipe Silva, o leilão de hoje "correu dentro do esperado, com a taxa em linha do que se faz no mercado secundário".

O leilão "correu sem qualquer problema, talvez por isso se tenha optado por emitir um pouco acima do previsto inicialmente, que era um intervalo entre 750 e mil milhões de euros, referiu.

"A 'yield curve' da dívida portuguesa não mostra qualquer tipo de 'stress' com Portugal e os investidores aproveitam as oportunidades não só na dívida pública portuguesa como também na dívida das empresas portuguesas", afirmou ainda Filipe Silva.

A instituição liderada por Cristina Casalinho espera emitir, em termos brutos, 18.000 a 20.000 milhões de euros em dívida de médio e longo prazo em 2016, "combinando sindicatos e leilões" e assegurando "no mínimo" um leilão de Obrigações do Tesouro (OT) por trimestre.

Com Lusa/Última atualização às 11:31

  • "Fiz coisas de que me envergonho"
    2:31

    Grande Reportagem SIC

    Carlos Queiroz, ex-selecionador de Portugal, dá-nos uma entrevista forte e transparente. Entrevistámo-lo no Dubai, um lugar que a investigação da SIC coloca no centro do mapa do escândalo do GES/BES. Aqui antecipamos a Grande Reportagem da próxima semana.

    Exclusivo online