sicnot

Perfil

Economia

Governo "sereno" com avaliação de Bruxelas sobre esforço orçamental

O Governo está "sereno" com a avaliação da Comissão Europeia sobre o esforço orçamental feito por Portugal entre 2013 e 2015 e não acredita que Bruxelas suspenda parcialmente os compromissos de fundos comunitários, realçou hoje o ministro da Economia.

Ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral.

Ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral.

JOS\303\211 COELHO

"Não me parece que esse cenário se vá realizar. Estamos serenos com a avaliação de Bruxelas", afirmou aos jornalistas Manuel Caldeira Cabral, à margem de uma conferência realizada no ISCTE, em Lisboa.

Isto, depois de o governante ter sido questionado sobre uma notícia hoje publicada pelo Jornal de Negócios que indica que "Bruxelas está pronta para suspender fundos europeus a Lisboa".

"A execução orçamental está a correr bem e demonstra a política de rigor nas contas públicas", destacou o ministro, apontando para a "expectativa de melhoria do défice este ano para o menor nível da história democrática" portuguesa.

De resto, Caldeira Cabral sublinhou que o ritmo de execução orçamental do primeiro trimestre alimenta o objetivo de Portugal fechar este ano com um défice inferior a 3,0%.

O Governo calcula que o país termine 2016 com um défice de 2,2%, contra a previsão de 2,7% lançada pela Comissão Europeia. Em qualquer dos cenários, caso se concretizem as estimativas, o défice deste ano vai ficar abaixo dos 3,0% impostos pelo Tratado Orçamental, pela primeira vez nos 42 anos de democracia portuguesa.

O Jornal de Negócios hoje noticiou que "o Governo está à beira de ter de ser forçado a prestar contas a Bruxelas de três em três meses, e de enfrentar uma suspensão parcial dos compromissos de fundos comunitários a partir de 01 de janeiro do próximo ano".

O diário sublinhou que "os serviços [comunitários] entendem que Portugal não respeitou o esforço orçamental devido entre 2013 e 2015 e que os comissários europeus concordam", assinalando que "a decisão é conhecida para a semana" e que "o agravamento do procedimento dos défices excessivos parece inevitável e ameaça até 50% dos fundos".

Já sobre o prolongamento da greve até 16 de junho anunciado na quarta-feira à noite pelo presidente do Sindicato dos Estivadores, António Mariano, o ministro da Economia preferiu não tecer quaisquer considerações.

Lusa

  • Leão de Ouro de Souto de Moura faz "muito bem à alma" dos portugueses
    1:53
  • "Sonho com um futuro melhor", o desejo de um jovem sírio em Portugal
    2:12

    País

    Mais de 50 jovens sírios chegaram esta madrugada a Lisboa, para iniciarem o novo ano letivo, em Portugal. Sonham com um futuro melhor. Sonham com uma educação melhor. Os 54 estudantes vieram ao abrigo do programa lançado pelo antigo Presidente da República, Jorge Sampaio, que nos últimos anos já deu uma nova oportunidade a cerca de 200 alunos.

  • Na linha do triunfo
    16:49
  • Chamas do incêndio no Europa Park na Alemanha atingiram os 15 metros de altura
    0:57