sicnot

Perfil

Economia

Apple investe 1.000 milhões de dólares em aplicação chinesa de transporte privado

O gigante de tecnologia Apple anunciou hoje um investimento de 1.000 milhões de dólares na aplicação de transporte privado chinesa Didi Chuxing, a versão chinesa do Uber e uma das 'start-ups' chinesas mais bem-sucedidas desta década.

O FBI acedeu ao telemóvel de Rizwan Farook, responsável, com a mulher, pela morte de 14 pessoas, depois de um litígio legal e de a Apple se ter negado a prestar ajuda. (Arquivo)

O FBI acedeu ao telemóvel de Rizwan Farook, responsável, com a mulher, pela morte de 14 pessoas, depois de um litígio legal e de a Apple se ter negado a prestar ajuda. (Arquivo)

© Mike Segar / Reuters

Este é o maior investimento de sempre recebido por aquela empresa, líder do mercado chinês, com uma quota de 87%, graças aos seus 300 milhões de utilizadores e uma média de 11 milhões de viagens diárias.

A empresa não detalha qual o montante total arrecadado na sua última ronda de financiamento, na qual participaram outras "entidades chinesas e internacionais de prestígio".

Em operações do género realizadas anteriormente, aquela plataforma captou investimento das duas empresas líderes no setor da Internet na China, o gigante de comércio eletrónico Alibaba e a Tencent, especializada em redes sociais e videojogos.

"Estamos extremamente impressionados pelo negócio que criou e a sua excelente liderança e esperamos apoiá-los à medida que vão crescendo", disse o conselheiro delegado da Apple, Tim Cook, em comunicado.

O Didi "ilustra a inovação" do setor informático na China, acrescentou.

Com sede em Pequim, o Didi Chuxing nasceu da fusão, em fevereiro de 2015, das empresas chinesas Didi Dache e Kuaidi Dache, que até então competiam entre si pela liderança no mercado do país.

No início deste ano, a empresa estava avaliada em 16.500 milhões de dólares.

O Governo chinês deve aprovar este mês reformas legais, visando "profissionalizar" os serviços móveis, após mais de um ano de atritos entre os táxis convencionais e os motoristas daquelas aplicações.

Lusa

  • MIT quer humanos a ajudar máquinas a decidir (quem morre)

    Mundo

    A "Máquina Moral" é uma plataforma online que recolhe a perspetiva humana em decisões que terão de ser tomadas por uma máquina. Por exemplo, quando um carro sem condutor se depara com o dilema do mal menor: em quem acertar - para evitar outros - num acidente de viação.

  • Daesh transforma drones em bombardeiros 

    Daesh

    As estratégias de combate do Daesh têm vindo a sofrer alterações, bem como a capacidade das forças militares iraquianas para confrontar e derrotar o inimigo. De acordo com o responsável do Exército dos EUA Brett Sylvia, comandante militar no Iraque, a tática mais recente desenvolvida pelo Daesh consiste em usar drones de uso comercial em pequenos bombardeiros, capazes de transportar e lançar granadas.