sicnot

Perfil

Economia

Assunção Cristas pede verdade sobre "austeridade à la esquerda"

A líder do CDS-PP, Assunção Cristas, exortou hoje o primeiro-ministro, António Costa, a assumir a verdade sobre a "austeridade à la esquerda" de um eventual plano B, mas António Costa reiterou a recusa de medidas adicionais.

TIAGO PETINGA/LUSA

"O programa de estabilidade já lá vai, os seus colegas parceiros de Governo no parlamento já o apoiaram, neste momento já escusa de jogar às escondidas e pode dizer-nos aqui em frente aos senhores deputados Catarina Martins e Jerónimo de Sousa, qual é esta verdade da austeridade a la esquerda?", questionou Assunção Cristas, que abriu o debate quinzenal com o Governo no parlamento.

A líder centrista defendeu que esta semana se ficou a saber pela televisão, referindo-se à entrevista que o chefe do executivo deu à SIC, "que a famosa lista escondida que apareceu neste parlamento há 15 dias podia não ser apenas um anexo do programa de estabilidade e ser já relevante para este ano".

"Onde vai buscar os 210 milhões de euros de outros impostos? Que cortes vai fazer nas prestações sociais? E quanto conta arrecadar do imposto no agravamento do IMI? E como vai funcionar o IMI progressivo? Que impacto vai ter no investimento, nomeadamente na reabilitação urbana? Como vão ficar afetados os proprietários de pequenos prédios rústicos?", interrogou a líder centrista.

Na resposta, o primeiro-ministro ironizou, agradecendo à presidente do CDS a oportunidade de explicar eventuais equívocos da sua entrevista à SIC e que levaram Assunção Cristas a apresentar uma "quarta versão do 'plano b'".

"Obviamente aquele quadro, como disse no parlamento é anexo ao Programa de Estabilidade para os anos de 2017 e seguintes e quanto a 2016, tal como também disse na SIC e repetirei aqui, a execução orçamental deixa-nos suficientemente confortáveis para continuar a não prever a necessidade de adoção de nenhuma medida que se possa classificar como plano b e limitar-nos-emos a executar o Orçamento do Estado", declarou.

"Desse Orçamento, não se prevê nenhum aumento do IMI. Pelo contrário, esse Orçamento introduziu foram duas medidas maior importância: uma proposta do PCP, que reduziu a taxa máxima do IMI, não foi por proposta do CDS foi por proposta do PCP e aprovado pelo maioria parlamentar. A segunda, por proposta do PS, a reintrodução da cláusula de salvaguarda para garantir que nenhuma família seria aumentada mais do que aquilo que poderia suportar", acrescentou.

António Costa remeteu mais esclarecimentos para quando a proposta de reforma do IMI for apresentada no parlamento, antes ou depois do Orçamento do Estado para 2017, "mas não agora, porque ainda não existe".

A líder do CDS questionou ainda o primeiro-ministro sobre os contratos de associação com o ensino particular e cooperativo e fê-lo na forma de um exemplo: "Os pais de um aluno que esteja hoje a frequentar o 6.º ano numa escola com contrato de associação, chegado o período das inscrições, daqui a dois meses, pode ou não inscrevê-lo na mesma escola ao abrigo deste contrato?".

O primeiro-ministro reiterou que todas as crianças poderão completar os ciclos de ensino e que, assim, um aluno do 6.º ano "poderá continuar no contacto de associação se, com base nas necessidades avaliadas, essa escola se inserir em zona de carência da rede pública", caso contrário, será inserido nas novas turmas ou lugares abertos para o 7.º ano numa escola pública.

Com Lusa/Última atualização às 12:04

  • Paulo Fonseca e Paulo Sousa fora da Liga Europa

    Liga Europa

    A segunda mão dos 16 avos-de-final da Liga Europa ficou marcada pelas eliminações de duas equipas treinadas por portugueses: a Fiorentina de Paulo Sousa e o Shakhtar Donetsk de Paulo Fonseca. Paulo Bento, no Olympiacos, e José Mourinho, no Manchester United, são os únicos técnicos lusos ainda em competição. Noutros jogos, destaque para os afastamentos do Tottenham e do Zenit. Veja aqui os resumos de todos os encontros desta noite europeia. O sorteio dos oitavos-de-final está agendado para esta sexta-feira, às 12h00, hora de Lisboa.

  • "Não preciso de ajustar contas com ninguém"
    0:49

    País

    O ex-Presidente da República insiste que José Sócrates foi desleal durante as negociações do Orçamento do Estado para 2011. Numa entrevista dada à RTP1, Cavaco Silva esclareceu ainda que não escreveu o livro de memórias para ajustar contas com o ex-primeiro-ministro.

  • Sócrates em processo judicial surpreende Cavaco
    0:18

    País

    Cavaco Silva afirmou ter ficado surpreendido com o envolvimento de José Sócrates num processo judicial. Em entrevista à RTP1 o ex-Presidente da República diz que nunca se apercebeu de qualquer "atuação legalmente menos correta" da parte de Sócrates.

  • PSD questiona funcionamento da Assembleia da República
    2:39

    Caso CGD

    O PSD e o CDS vão entregar esta sexta-feira no Parlamento o pedido para criar uma nova Comissão de Inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos. Os dois partidos reuniram-se esta quarta-feira para fechar o texto do requerimento. Durante o dia, o PSD considerou que o normal funcionamento da Assembleia da República está em causa, o que levou Ferro Rodrigues a defender-se e a garantir que está a ser imparcial.

  • Marcelo rejeita discussões menores na banca
    0:32

    Economia

    O Presidente da República avisa que não se devem introduzir querelas táticas e menores no sistema financeiro. Num encontro que reuniu publicamente Marcelo e Centeno, o Presidente diz que é preciso defender o interesse nacional.

  • Três dos planetas encontrados podem conter água e vida
    3:28
  • Túnel descoberto em cadeia brasileira tinha ligação a uma habitação
    0:44

    Mundo

    A polícia brasileira descobriu um túnel que ligava a cadeia de Porto Alegre a uma casa e serviria para libertar prisioneiros do estabelecimento. As autoridades detiveram sete homens e uma mulher no local. A construção permitiria uma fuga massiva que poderia chegar aos 200 mil fugitivos e estima-se que terá custado mais de 300 mil euros. A polícia do Rio Grande do Sul acredita, assim, ter impedido aquela que seria a maior fuga de prisioneiros de sempre no Estado brasileiro.

  • Secretário da Segurança Interna dos EUA desmente Donald Trump

    Mundo

    O Presidente norte-americano, Donald Trump, afirmou esta quinta-feira que os esforços do seu Governo para expulsar alguns imigrantes ilegais dos Estados Unidos "são uma operação militar", afirmação contrariada pelo seu secretário da Segurança Nacional no México.