sicnot

Perfil

Economia

FMI alerta para impacto "negativo" e "considerável" do Brexit

O Fundo Monetário Internacional (FMI) advertiu hoje que um Sim à saída do Reino Unido da União Europeia (UE) , o chamado Brexit, no referendo de 23 de junho pode ter um impacto "negativo" e "considerável" na economia britânica.

A diretora-geral do FMI, Christine Lagarde, apresentou hoje em Londres um relatório sobre a situação económica do Reino Unido, o qual refere que o país sofreria um "período prolongado de incerteza" e uma diminuição das transações comerciais, além de uma volatilidade dos mercados financeiros.

O relatório sublinha que a realização do referendo já está a ter um "impacto" no investimento e na contratação de pessoal.

Lagarde defendeu que o Brexit acarreta um "risco de baixa" para a economia e que a perspetiva da saída da UE está a provocar "ansiedade em todo o mundo".

Contudo, o FMI sublinha que a decisão sobre se o Reino Unido deve ou não sair do bloco europeu compete ao eleitorado britânico e que a deliberação que este tomar "refletirá os fatores económicos e não económicos".

O FMI adianta que é provável que a reação dos mercados globais ao 'Brexit' seja "negativa" e admite que, inclusivamente, "pode vir a ser grave".

"Uma votação a favor do 'Brexit' poderia precipitar um período prolongado de incerteza, provocando a volatilidade dos mercados financeiros e um corte abrupto na produção", insistiu.

Ao mesmo tempo, o fundo diz que um novo acordo comercial com a Europa poderia ficar "sem resolução durante anos", com efeitos no investimento e na economia.

No relatório, a organização sublinha inclusivamente que a posição de Londres como centro financeiro global poderia ficar "corroída", tendo em conta que algumas empresas com sede no Reino Unido poderiam com o tempo mudar-se para a Europa ocidental.

Os mercados, refere o relatório, poderiam não esperar para conhecer o impacto do 'Brexit' na economia e reagiriam de maneira negativa, o que poderia dar origem a uma queda dos preços da habitação, um aumento dos custos do endividamento para as famílias e para o setor dos negócios, e inclusivamente um travão brusco do fluxo de investimento em setores como o das finanças e o da propriedade comercial.

O 'Brexit' poderia ter sobretudo um impacto no mercado interno britânico, defende o FMI.

O FMI fez esta advertência depois de o Banco de Inglaterra ter indicado na quinta-feira que a eventual saída do Reino Unido da UE provocará uma desaceleração da economia britânica.

No último relatório trimestral, o banco central britânico assegurou que a confirmação da rutura de Londres com Bruxelas no referendo de junho provocaria uma "drástica" desvalorização da libra esterlina e uma considerável subida da inflação, entre outros fatores negativos.

Lusa

  • Adeptos do Sporting gritaram "Joguem à bola"

    Desporto

    Depois da eliminação da Taça de Portugal, o autocarro do Sporting deixou o Estádio Municipal de Chaves em clima de grante tensão. Vários adeptos leoninos protestaram contra a equipa e pediram explicações.

  • Oposição diz que défice abaixo dos 2,3% se deve ao aumento de impostos
    2:24

    Economia

    O défice de 2016 vai ficar abaixo dos 2,3%, uma garantia dada pelo primeiro-ministro durante o debate quinzenal desta terça-feira. A oposição diz que o resultado é bom para o país mas que se deve a um aumento de impostos, feito pelo Governo no ano passado, e ao trabalho do PSD e do CDS nos anos anteriores.

  • Temperaturas negativas em várias zonas do país nos próximos dias
    1:57

    País

    O frio vai começar a fazer-se sentir nos próximos dias com as temperaturas a descerem para valores negativos em várias zonas do país. Em Lisboa, cinco estações de metro vão estar abertas durante a noite para albergar os sem-abrigo que também vão receber agasalhos e refeições quentes.

  • Medalha idêntica à de Anne Frank encontrada em campo nazi

    Mundo

    Um grupo de investigadores encontrou uma medalha praticamente igual à de Anne Frank, nas escavações ao campo nazi de extermínio Sobibor, na Polónia. Os especialistas do Memorial do Holocausto Yad Vashem em Israel acreditam que a medalha pertencia a Karoline Cohn, que pode ter conhecido Anne Frank.