sicnot

Perfil

Economia

Dívida externa líquida desce para 99,4% do PIB em março

A dívida externa líquida alcançou, no final de março, os 179,8 mil milhões de euros, o que representa uma redução de 2,4 mil milhões de euros face a 2015, divulgou hoje o Banco de Portugal (BdP).

(Reuters/Arquivo)

(Reuters/Arquivo)

Segundo o BdP, esta evolução "deveu-se sobretudo ao contributo das variações de preço" e representa, em percentagem do PIB, uma redução de 101,5% para 99,4%.

De acordo com os dados divulgados, no final de março, a Posição de Investimento Internacional (PII) foi negativa em 194,7 mil milhões de euros (-107,7% do PIB), o que traduz uma variação positiva de 1,7 pontos percentuais em relação ao final de 2015.

"Os ativos líquidos de Portugal face ao exterior aumentaram 1,4 mil milhões de euros, principalmente pelo contributo das variações de preço", refere a instituição.

Em particular, o BdP destaca "o efeito combinado da valorização da cotação do ouro, detido pelo banco central, e da desvalorização das obrigações do Tesouro emitidas pelas administrações públicas, detidas por não residentes".

As variações cambiais, por sua vez, foram negativas em 939 milhões de euros e resultaram essencialmente da depreciação do dólar.

"O contributo das transações foi marginal e negativo para a variação da PII nos três primeiros meses do ano, por comparação com o final de 2015", acrescenta.

Lusa

  • Dois jovens atropelados mortalmente no concelho de Montemor-o-Velho
    2:20
  • Presidente de "O Sonho" suspeito de peculato e fraude
    2:26

    País

    O presidente das três instituições de solidariedade social de Setúbal - incluindo "O Sonho" -, que na sexta-feira foram alvo de buscas, foi constituído arguido. Florival Cardoso é, por enquanto, o único suspeito de peculato e fraude na obtenção de subsídios para as instituições.

  • Manifestação contra mina de urânio junta milhares em Salamanca
    1:39
  • Assalto a Tancos e roubo de armas da PSP podem estar relacionados
    1:24

    País

    O assalto a Tancos e o roubo de armas da PSP, três recuperadas na semana passada, podem estar relacionados. O semanário Expresso avançou este sábado que há suspeitos de terem participado nos dois assaltos e o grupo, ou parte dele, atua principalmente do Algarve, com possíveis ligações a outras organizações espalhadas pelo país ou até transacionais.

  • Cessar-fogo de 30 dias na Síria
    2:07