sicnot

Perfil

Economia

Passos Coelho acusa Governo PS de destruir 60 mil empregos

O presidente do PSD, Pedro Passos Coelho, acusou hoje o Governo socialista de ter destruído em seis meses quase 60 mil empregos, numa avaliação feita, em Trás-os-Montes, do desempenho do executivo com maioria parlamentar de esquerda.

RICARDO CASTELO

O líder social-democrata afirmou que "só no último trimestre (entre janeiro e março) perderam-se 48 mil postos de trabalho" em Portugal.

"Se alargarmos este comparador até novembro do ano passado (data da tomada de posse do Governo PS) a destruição de emprego pode atingir quase 60 mil", acrescentou, salientando que a promessa socialista era "criar 35 mil empregos ao longo do ano de 2016".

O líder do PSD falava, em Mirandela, no distrito de Bragança num jantar com militantes e representantes da sociedade civil, no início da Jornada da Valorização do Território, que se prolonga até terça-feira, em Trás-os-Montes.

Para Passos Coelho "não se pode falar da importância da valorização do território, se a estratégia que o país seguir for errada".

O social-democrata indicou que Portugal "cresceu, de janeiro a março, metade que a União Europeia".

"Temos hoje a certeza de que por melhor que as coisas corram não conseguiremos ver a economia portuguesa crescer tanto como o ano passado", afirmou.

Na opinião de Passos Coelho "a única coisa que se alterou foi a mudança do Governo em Portugal" e desafia o PS e a maioria parlamentar de esquerda (BE e PCP) a, "em vez de fazer uma retórica para esconder esses resultados, que altere a estratégia para corrigir estes resultados".

"Era importante que os partidos todos da maioria se reunissem rapidamente para rever a sua estratégia. Que se reúnam os três (partidos), olhem para os resultados que estão a ser atingidos e tirem conclusões", desafiou.

Passos Coelho explicou que iniciativas como as Jornadas da Valorização do Território pretendem dar a conhecer ao país as medidas que o PSD propôs na Assembleia da República e que os partidos da maioria "decidiram reprovar sem qualquer discussão".

As jornadas do presidente do PSD prosseguem, na segunda-feira, em Bragança e em Vila Real, com a visita a uma estação de tratamento de água numa aldeia de Bragança, e reuniões com a academia, vitivinicultores, agricultores e visita a uma empresa no distrito de Vila Real.

Lusa

  • Passos Coelho diz que Governo não vai conseguir cumprir metas orçamentais
    2:37

    Economia

    No debate quinzenal no Parlamento, sobre o estado da economia, Pedro Passos Coelho diz que era preciso que a economia estivesse a crescer cinco vezes mais, para que os objetivos do Governo fossem cumpridos. António Costa respondeu que a economia já vem a travar desde o tempo do Executivo anterior. O primeiro-ministro também rejeitou a proposta do líder do CDS de rever os preços dos combustíveis todas as semanas.

  • Passos diz que já se nota que Governo não vai conseguir cumprir metas
    2:42

    País

    Pedro Passos Coelho diz que já se nota que o Governo não vai conseguir cumprir as metas com que se comprometeu. No debate quinzenal, o líder do PSD disse que era preciso que a economia estivesse a crescer cinco vezes mais do que o atual para que os objetivos fossem possíveis. O primeiro-ministro respondeu que a economia já vem a travar desde o tempo do Governo de Passos Coelho.

  • PSD e CDS assinalam 36º aniversário da morte de Francisco Sá Carneiro
    1:38

    País

    O presidente do PSD deixou críticas ao Partido Comunista, este domingo, a propósito do aniversário da morte de Francisco Sá Carneiro. Pedro Passos Coelho lembrou os festejos dos comunistas na altura, numa resposta a quem questionou a abstenção dos sociais-democratas ao voto de pesar a Fidel Castro, que o PCP levou ao Parlamento. Este domingo, tanto o PSD como o CDS-PP prestaram homenagem a Sá Carneiro e Adelino Amaro da Costa.