sicnot

Perfil

Economia

Moody's antecipa défice de 3% este ano, Governo aponta para 2,2%

A agência de notação financeira Moody's alertou hoje para os riscos que "a debilidade" da banca nacional coloca a Portugal e reafirmou que o défice se deverá fixar nos 3,0%, acima das previsões governamentais de 2,2%.

© Brendan McDermid / Reuters

Numa nota sobre a qualidade de crédito de Portugal, a agência de 'rating' refere que, nos últimos anos, o desempenho orçamental do país tem sido afetado de forma negativa pela necessidade do Estado injetar capital em vários bancos e salienta que o Governo pode ter de voltar a capitalizar o banco estatal (Caixa Geral de Depósitos) este ano.

"A constante debilidade da banca continua a ser um risco para a notação de crédito de Portugal", indica a Moody's.

A agência de 'rating' [notação] reitera igualmente as preocupações quanto à evolução das finanças públicas, prevendo um défice de 3,0% do Produto Interno Bruto (PIB), superior à meta do Governo (2,2%), já que as perspetivas de crescimento são também inferiores, tal como tinha indicado em fevereiro.

"A Moody's considera que este desvio deve ser contido, dado o intenso escrutínio dos progressos orçamentais de Portugal por parte da Comissão Europeia e as exigências de medidas adicionais, caso a execução orçamental aponte para um desvio este ano", adianta a empresa.

Por outro lado, "o elevado rácio da dívida, tanto pública como privada, constitui um travão para as perspetivas de crescimento e o 'rating' da dívida soberana".

Apesar de ter estabilizado, a dívida pública portuguesa (129% do PIB) mantém-se entre as mais elevadas analisadas pela Moody's.

A agência espera "uma redução muito gradual nos próximos anos", mas nota que esta trajetória descendente é vulnerável a derrapagens orçamentais ou baixo crescimento económico.

Lusa

  • Marcelo adverte contra "permanente agitação dos analistas"
    0:49

    Economia

    Questionado sobre a análise da agência de notação financeira Moody´s, hoje divulgada, segundo a qual o défice se deverá fixar nos 3,0%, acima das previsões governamentais de 2,2%, Marcelo Rebelo de Sousa diz que a agitação dos analistas e a especulação são prejudiciais para a estabilidade dos mercados.

  • Será que lavar em lavandarias self-service compensa?
    8:21
  • "Não se pode voltar atrás, o povo de Deus confirmou a necessidade deste Papa"
    3:15
  • Dois em cada três portugueses vivem vidas sedentárias

    País

    Com menos de hora e meia de exercício semanal, mais de dois terços dos portugueses vivem vidas sedentárias. E a maioria desvaloriza a importância da atividade física, segundo um inquérito divulgado esta quinta-feira pela Fundação Portuguesa de Cardiologia.

  • Depois de dar a volta (de bicicleta de Lisboa a Setúbal)

    País

    Missão cumprida. A SIC foi dar uma volta de bicicleta, acompanhando a primeira etapa de uma iniciativa que pretende impulsionar o uso dos velocípedes no país. Ao longo desta quarta-feira, publicámos vários vídeos em direto na página de Facebook da SIC Notícias, que aqui reunimos, em jeito de balanço.

    Ricardo Rosa

  • Primeira dama chinesa defende avanços na igualdade

    Mundo

    A primeira dama chinesa, Peng Liyuan, defendeu os avanços da China em matéria de igualdade dos géneros. Uma rara entrevista, difundida numa altura em que feministas chinesas asseguram serem controladas pela polícia face às suas campanhas.