sicnot

Perfil

Economia

Centeno não ficou "de todo" preocupado com advertência de Dijsselboem

O ministro das Finanças assegurou hoje que não ficou "de todo" preocupado com as declarações do presidente do Eurogrupo sobre a "possibilidade séria" de sanções a Portugal devido ao défice, apontando que o Governo "sabe exatamente o que fazer".

© Rafael Marchante / Reuters

No final de uma reunião dos ministros das Finanças da zona euro, em Bruxelas, Mário Centeno, questionado sobre as declarações de Jeroen Dijsselbloem à entrada para o encontro - que teve início na terça-feira à tarde e se prolongou até à madrugada de hoje -, sublinhou que "o que neste momento é necessário é ter confiança na execução orçamental, na capacidade que o país tem que ter de mostrar que consegue continuar nesse rumo e crescer".

"(Preocupado?) Não, de todo, o que o presidente do Eurogrupo fez foi simplesmente referir que há um conjunto de procedimentos europeus que é necessário analisar, cumprir, e nós sabemos exatamente do que é que isso se trata (...) O Governo sabe exatamente o que fazer para manter o país numa trajetória de consolidação das suas contas públicas", declarou.

À entrada para a reunião, Dijsselbloem afirmara que a aplicação de sanções a Portugal por défice excessivo é uma "possibilidade séria devido à situação atual do país".

"As sanções são absolutamente uma possibilidade, estão nas nossas regras e regulamentos, e quando olhamos para a situação atual em Portugal e Espanha há razões sérias para considerar a sua aplicação", declarou o presidente do Eurogrupo, lembrando que manter as contas públicas em ordem é uma "tarefa difícil".

Centeno apontou que o crescimento da economia portuguesa "parou no final do ano passado", admitiu que "os números do primeiro trimestre mostram que é necessário fazer mais", e insistiu que "é nesse trajeto que o Governo se propõe manter e executar o seu orçamento de Estado", tendo também já começado a implementar o programa nacional de reformas.

Questionado sobre se a capitalização da Caixa Geral de Depósitos (CGD) não poderá dificultar a missão de reduzir o défice para valores abaixo dos 3% do PIB, o ministro sustentou que "a capitalização não tem impacto direto no défice", dado tratar-se de "uma operação financeira", preferindo sublinhar a importância da mesma para a saúde do sistema financeiro português e a sua capacidade de financiar a economia.

"A preocupação do Governo no aspeto financeiro é que nós possamos ter a estabilização que todos desejamos para que o sistema financeiro possa ser de facto um contributo para o crescimento do país. É nessa perspetiva que se enquadra qualquer decisão que venha a ser tomada, em conjugação sempre com as autoridades europeias, de capitalização da CGD".

Lusa

  • Centeno apela à confiança na execução orçamental do Governo
    0:59

    Economia

    O ministro das Finanças diz que o que tema das sanções não foi abordado no Eurogrupo, mas que é preciso ter confiança na execução orçamental do Governo. Mário Centeno reagia às declarações do Presidente do Eurogrupo, que ontem disse que as sanções eram uma possibilidade para Portugal e Espanha, e que evitá-las dependia de manter o Orçamento na trajetória certa.

  • "Às vezes o senhor primeiro-ministro irrita-me um bocadinho"
    2:05

    País

    O Presidente da República disse esta quinta-feira de manhã que António Costa é "irritantemente otimista" por teimar em "ver violeta-rosa onde há roxo". Marcelo Rebelo de Sousa recordou ainda Mário Soares numa aula no Colégio Moderno, em Lisboa.

  • Montenegro nunca será candidato contra Passos
    0:50
  • Cientistas testam útero artificial em cordeiros prematuros

    Mundo

    Um grupo de cientistas desenvolveu um útero artificial - o Biobag - que se assemelha a uma bolsa de plástico e que ajuda no desenvolvimento de cordeiros prematuros. O método foi testado nestes animais mas os cientistas do Hospital Pediátrico de Filadélfia, nos Estados Unidos, garantem que poderá vir a ser utilizado também em bebés que nascem prematuros.

  • Exame ao sangue descobre cancro um ano antes do reaparecimento

    Mundo

    Uma equipa de investigadores britânicos descobriu uma maneira de identificar o regresso do cancro, com um ano de antecedência. Através de um exame ao sangue, a equipa conseguiu identificar os primeiros sinais da doença, uma série de células invisíveis ao raio-X e à TAC. A descoberta pode vir a permitir tratar o cancro mais cedo e, como resultado, poderá aumentar as chances de o curar.

  • Casados há 69 anos, morrem de mãos dadas com 40 minutos de diferença

    Mundo

    Isaac Vatkin, de 91 anos, morreu cerca de 40 minutos depois de Teresa, de 89 anos, no passado sábado no Highland Park Hospital, no estado norte-americano Ilinóis. "Não queríamos que fossem embora, mas não podíamos pedir que partíssem de melhor maneira", afirmou o neto William Vatkin. O casal morreu no hospital poucos dias depois de celebrarem 69 anos de casados.

  • Trump cria linha de apoio a vítimas de "extraterrestres criminosos"

    Mundo

    Quando o Governo norte-americano usa o termo "extraterrestre criminoso", refere-se a alguém que não é cidadão dos Estados Unidos da América e que foi condenado por um crime. Quando a mesma expressão é usada pelos utilizadores do Twitter, o significado é completamente diferente. Os internautas pensam na série Ficheiros Secretos e em discos voadores. Por isso, o lançamento de uma linha telefónica, por parte da Casa Branca, para as vítimas de "extraterrestres criminosos" só podia dar em confusão.