sicnot

Perfil

Economia

Discussão no Ecofin confirma "preocupações" com adiamento de sanções a Portugal

O presidente do Eurogrupo e o vice-presidente da Comissão Europeia responsável pelo Euro admitiram hoje, em Bruxelas, que há "algumas preocupações" entre certos Estados-membros relativamente ao adiamento de sanções a Espanha e Portugal devido ao défice excessivo.

© Ints Kalnins / Reuters

Na conferência de imprensa no final de uma reunião de ministros das Finanças da União Europeia (Ecofin), o presidente do Eurogrupo e também do Ecofin durante o semestre de presidência holandesa, Jeroen Dijsselbloem, questionado sobre críticas alegadamente proferidas pelo ministro das Finanças alemão durante a reunião de hoje relativamente à decisão da Comissão de adiar uma decisão sobre sanções aos dois países, escusou-se a "dizer quem disse o quê", mas admitiu que "há algumas preocupações".

"Houve uma referência à recente decisão da Comissão sobre Espanha e Portugal logo na nossa sessão da manhã (do Ecofin). Claro que não vou citar ministros, já que tal ocorreu durante o pequeno-almoço, na sessão informal, pelo que não me sinto à vontade de dizer quem disse o quê. Mas há algumas preocupações quanto à credibilidade de como usamos o pacto (de estabilidade e crescimento) para manter todos os Estados-membros no caminho acordado", declarou.

Jeroen Dijsselbloem -- que também na véspera, à chegada à reunião do Eurogrupo (ministros das Finanças da zona euro), afirmara que a aplicação de sanções a Portugal por défice excessivo é uma "possibilidade séria devido à situação atual do país" e queria ouvir da Comissão a explicação para o adiamento de uma decisão -- lembrou que o assunto dos Procedimentos por Défice Excessivo (PDE) estará sobre a mesa na próxima reunião do Ecofin, em junho, podendo então pronunciar-se.

Já o comissário Dombrovskis disse também ter noção de que "há muitas discussões" em torno da decisão da Comissão, de adiar para julho eventuais sanções a Espanha e Portugal por incumprimento das metas do défice, mas frisou que o que o executivo comunitário decidiu "foi adiar as decisões" para julho, uma decisão determinada por considerações também políticas, numa alusão à celebração de eleições em Espanha.

"Relativamente ao dever e mandato da Comissão de monitorizar os PDE, claro que essa questão foi analisada também na Comissão, e há uma opinião dos serviços legais da Comissão de que está no mandato da Comissão tomar essas decisões em julho", limitou-se a afirmar, escusando-se também ele a pronunciar-se sobre o alegado mal-estar entre alguns Estados-membros pelo adiamento de (inéditas) sanções a Estados-membros que não cumpram as regras do Pacto de Estabilidade e Crescimento.

De acordo com vários órgãos de informação, que citam a agência Bloomberg, o ministro das Finanças alemão, Wolfgang Schauble, manifestou-se hoje contra o adiamento de sanções a Espanha e Portugal, considerando que aliviar as regras não ajuda a aumentar a confiança.

Lusa

  • Ministros das Finanças da zona euro admitem alterar regras orçamentais
    1:28

    Economia

    Os ministros das Finanças da zona euro admitem alterar as regras orçamentais que impõem limites ao défice, desde que haja um maior controlo da despesa pública. A flexibilização das regras foi discutida na reunião do Ecofin. O presidente do Eurogrupo, Jeroen Dijsselbloem, diz que a haver mudanças, será para explicar melhor as políticas europeias aos eleitores.

  • Próximo Ecofin terá Panama Papers na agenda

    Panama Papers

    A reunião de ministros das Finanças e da Economia da União Europeia do próximo dia 22, em Amesterdão, discutirá o tema dos papéis do Panamá, anunciou hoje Jeanine Hennis-Plasschaert, em representação da presidência holandesa do Conselho da União Europeia.

  • Madonna diz que América nunca desceu tão baixo
    2:12

    Mundo

    No mundo artístico, foram várias as vozes que se levantaram contra Trump, entre elas Madonna. A cantora disse esta quinta-feira em Nova Iorque, a propósito do dia da tomada de posse, que nunca a América desceu tão baixo. Já o ator Matthew McConaughey - que está em Londres - garantiu que não ia perder a cerimónia pela televisão.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Videoclipe mostra mulheres a fazer tudo o que é proibido na Arábia Saudita
    1:55

    Mundo

    Um grupo de mulheres canta, dança e faz outras coisas proibidas na Arábia Saudita como forma de protesto. O vídeo é uma crítica social à forma como as mulheres islâmicas são tratadas pelos maridos. Na letra constam frases como "Faz com que os homens desapareçam da terra" e "Eles provocam-nos doenças psicológicas". A ideia partiu de um homem, Majed al-Esa e já conta com 5 milhões de visualizações.

    Patrícia Almeida