sicnot

Perfil

Economia

Mais de 61% dos desempregados continuavam sem emprego no 4º trimestre de 2015

Mais de metade dos desempregados em Portugal (61,1%) continuaram sem trabalho no quarto trimestre de 2015, abaixo da média da União Europeia (UE 64,0%), e 21,7% tinham conseguido emprego (UE 17,7%), divulga hoje o Eurostat.

Segundo os dados do gabinete oficial de estatísticas da União Europeia (UE) sobre o fluxo no mercado de trabalho no quarto trimestre de 2015, houve ainda 17,2% de portugueses que transitaram para uma situação de inatividade económica (18,4% na UE).

A Grécia (94,8%) está no topo da lista dos países em que mais pessoas permaneceram desempregadas, seguindo-se a Croácia (85,8%), a Eslováquia (84,3%), a Bulgária (77,6%) e a Lituânia (77,4%), enquanto a Dinamarca (45,9%), a Itália (49,9%), a Finlândia (52,5%), e a Suécia (53,3%) apresentaram as taxas mais baixas.

Face a 2014, a proporção de pessoas que reentraram no mercado de trabalho em Portugal aumentou 2,8 pontos percentuais (pp) no período entre outubro e dezembro de 2015 (UE 1,5 pp), enquanto a de desempregados que permaneceram nessa situação diminuiu 3,7 pontos percentuais (UE -2,8 pp).

Lusa

  • Díli decide legislativas em Timor-Leste
    1:48
  • Quase 200 polícias solidários com agentes acusados
    2:29

    País

    Perto de 200 polícias manifestaram-se este sábado na sede da PSP em Alfragide, em solidariedade com os 18 agentes acusados no processo Cova da Moura. O Sindicato Nacional de Polícia associou-se ao protesto e diz existir um aproveitamento político do caso.

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.

  • Norte também quer naturismo e praias de nudistas

    País

    O presidente da Turismo do Porto e Norte de Portugal defendeu hoje a criação de praias naturistas legalizadas na região, fazendo a apologia da formação de associações e negando que este seja um destino conservador.

  • Princesa Diana morreu há 20 anos. Filhos falam pela 1ª vez da intimidade
    1:15