sicnot

Perfil

Economia

Mais de 61% dos desempregados continuavam sem emprego no 4º trimestre de 2015

Mais de metade dos desempregados em Portugal (61,1%) continuaram sem trabalho no quarto trimestre de 2015, abaixo da média da União Europeia (UE 64,0%), e 21,7% tinham conseguido emprego (UE 17,7%), divulga hoje o Eurostat.

Segundo os dados do gabinete oficial de estatísticas da União Europeia (UE) sobre o fluxo no mercado de trabalho no quarto trimestre de 2015, houve ainda 17,2% de portugueses que transitaram para uma situação de inatividade económica (18,4% na UE).

A Grécia (94,8%) está no topo da lista dos países em que mais pessoas permaneceram desempregadas, seguindo-se a Croácia (85,8%), a Eslováquia (84,3%), a Bulgária (77,6%) e a Lituânia (77,4%), enquanto a Dinamarca (45,9%), a Itália (49,9%), a Finlândia (52,5%), e a Suécia (53,3%) apresentaram as taxas mais baixas.

Face a 2014, a proporção de pessoas que reentraram no mercado de trabalho em Portugal aumentou 2,8 pontos percentuais (pp) no período entre outubro e dezembro de 2015 (UE 1,5 pp), enquanto a de desempregados que permaneceram nessa situação diminuiu 3,7 pontos percentuais (UE -2,8 pp).

Lusa

  • Pelo menos 2 mortos em Guadalupe à passagem do furacão Maria

    Mundo

    A passagem na terça-feira do furacão Maria pelo arquipélago francês de Guadalupe, nas Caraíbas, provocou a morte de duas pessoas, indicou o governo. Em declarações à Rádio RCI, Eric Maire, delegado do governo, disse que um homem morreu devido à queda de uma árvore, e que outra pessoa foi encontrada morta junto ao mar.

  • Pistolas Nerf podem causar graves lesões nos olhos

    Mundo

    As balas das pistolas Nerf, quando atingem os olhos, podem causar graves lesões. O aviso é de um grupo de médicos de Londres, que recomenda a utilização de óculos protetores e o aumento da idade mínima para a utilização dos brinquedos.

    SIC

  • Investigadores descobrem como transformar gordura "má" em gordura "boa"

    Mundo

    Uma equipa de investigadores da Universidade de Washington, Estados Unidos, descobriu como converter a gordura corporal "má" em gordura "boa", permitindo queimar mais calorias e atrasar o aumento de peso, num estudo conduzido em ratos. Estes resultados abrem caminho para a possibilidade de desenvolver tratamentos mais eficazes para a obesidade e para a diabetes associada ao aumento de peso em pessoas, segundo os autores.