sicnot

Perfil

Economia

Portugal com luz e gás mais caros da UE

Portugal tinha no segundo semestre de 2015 a eletricidade e o gás para uso doméstico mais caros da União Europeia (UE) expressos em paridade de poder de compra padrão (PPS, na sigla inglesa), divulga hoje o Eurostat.

Regis Duvignau / Reuters

Segundo o gabinete oficial de estatísticas da UE, em Portugal, a eletricidade custava, na segunda metade do ano passado, 29,3 PPS (unidade monetária artificial que elimina as diferenças de níveis de preços entre os países) por 100 kWh (quilowatt hora) e o gás 12,6 PPS.

O preço médio da eletricidade subiu 2,4% no segundo semestre de 2015 face ao de 2014 para os 22,4 euros por 100 kWh, enquanto o do gás desceu 5,5%, para os 9,8 kWh.

Na UE, o preço médio da eletricidade subiu, em termos homólogos, 2,4% e na zona euro 1,3%, para os 21,1 e 22,1 euros por 100 kWh, respetivamente, enquanto o do gás recuou 1,7% na UE para os 7,1 euros e 3,4% na zona euro para os 7,6 euros por 100 kWh.

Entre junho e dezembro de 2015, o preço do preço da eletricidade doméstica na UE era de 21,1 PPS por 100 kWh e na zona euro de 21,6 PPS, enquanto o do gás era de 7,1 PPS por 100 kWh na UE e de 7,5 PPS na zona euro.

Além de Portugal (29,3 PPS por 100 kWh), na Alemanha (28,3), em Espanha e na Roménia (26,5 cada) a eletricidade para uso doméstico tinha os preços mais altos face aos de outros bens e serviços, enquanto a Finlândia (12,3 PPS por 100kWh), a Suécia (14,6), o Luxemburgo (14,7) e a França (15,2) apresentavam os preços mais baixos.

No que respeita ao gás, face ao custo de outros bens e serviços, os preços mais baixos registaram-se no Luxemburgo (4,0 PPS por 100 kWh), Reino Unido (5,1), Bélgica (5,6) e Dinamarca (5,7), enquanto os mais altos foram observados em Portugal (12,6), Espanha (10,4), Grécia e Suécia (9,2 cada), República Checa (9,1) e Itália (9,0).

O peso das taxas e impostos no preço da eletricidade doméstica em Portugal é o terceiro maior da UE (50%), depois da Dinamarca (69%) e da Alemanha (52%), e acima da média europeia de 33%, enquanto no gás as taxas e impostos são 23%, em média com a UE.

Lusa

  • António Costa evita perguntas sobre estágios não remunerados
    1:55
  • "É evidente que não fecho a porta ao Eurogrupo"
    1:38

    Economia

    O ministro das Finanças diz que não fecha a porta ao Eurogrupo. A declaração é feita numa entrevista ao semanário Expresso. No entanto, Mário Centeno deixa a ressalva que qualquer ministro das Finanças do Eurogrupo pode ser presidente.

  • Trump adia decisão sobre permanência nos acordos de Paris
    1:48
  • Raízes de ciência e rebentos de esperança
    14:14