sicnot

Perfil

Economia

Portugal cai três posições no ranking de competitividade

Portugal desceu três lugares no índice mundial de competitividade, publicado anualmente pelo IMD World Competitiveness Center, que junta 61 economias de todo o mundo, e foi ultrapassado pela Turquia.

O estudo divulgado pela escola suíça de gestão IMD Business School mostra igualmente que os Estados Unidos deixaram de ser a economia mundial mais competitiva, tendo sido ultrapassados pela China/Hong Kong, que ocupa agora o primeiro lugar, e pela Suíça.

O top 10 dos países mais competitivos integra ainda Singapura, Suécia, Dinamarca, Irlanda, Holanda, Noruega e Canadá.

Portugal, que ocupava no ano passado a 36ª posição, escorregou para o 39.º lugar, e foi suplantado pela Turquia, que passou de 40º para 38º país mais competitivo do mundo.

Taiwan, Malásia, República da Coreia e Indonésia também sofreram descidas significativas face às posições que ocupavam em 2015, enquanto a China Continental recuou ligeiramente, mantendo-se no top 25.

O estudo revela que alguns dos avanços mais significativos da Europa aconteceram nos países de leste, nomeadamente na Letónia, Eslováquia e Eslovénia.

As economias da Europa ocidental também continuaram a progredir, com os investigadores a realçarem o papel do setor público na recuperação pós-crise financeira.

Lusa

  • Obras no Miradouro de São de Pedro de Alcântara não foram a concurso
    2:50

    País

    As obras no Miradouro de São Pedro de Alcântara, em Lisboa, arrancaram esta segunda-feira. A intervenção foi adjudicada à construtora Teixeira Duarte sem concurso público. A autarquia justifica esta decisão com o caráter urgente da obra, argumento que não consta do relatório do Laboratório Nacional de Engenheria Civil, a que a SIC teve acesso.

  • Rajadas de vento em Moscovo atingem os 110 km/hora
    0:57

    Mundo

    A passagem de uma tempestade por Moscovo fez pelo menos 11 mortos e mais de 50 feridos. Os ventos fortes, que chegaram aos 110 km/hora, destruíram carros e telhados e provocaram atrasos nos transportes. Na região de Stavropol, mais de 60 mil pessoas foram retiradas de casa por perigo de cheias.