sicnot

Perfil

Economia

CGTP quer que horário semanal de 35 horas para todos seja prioridade sindical

O secretário-geral da CGTP, Arménio Carlos, quer que a reivindicação do horário de trabalho de 35 horas semanais para todos os trabalhadores se torne numa prioridade do movimento sindical no próximo ano.

"A redução do horário de trabalho tem sido reivindicada ao nível da contratação coletiva, mas, tendo em conta a conjuntura, tem sido dada prioridade ao aumento dos salários e à melhoria da segurança no trabalho. Consideramos, no entanto, que está na altura de tornar prioritária a reivindicação das 35 horas de trabalho para todos", disse Arménio Carlos à agência Lusa.

O sindicalista afirmou que, após o período das férias de verão, no final de agosto ou princípio de setembro, os órgãos dirigentes da Intersindical aprovarão o caderno reivindicativo para o próximo ano, com a respetiva política de rendimentos, e deverão definir como prioritária a reivindicação do horário de trabalho semanal de 35 horas para todos os trabalhadores e setores de atividade.

"Se não conseguirmos que isso seja feito por alteração legislativa, teremos de lutar para o conseguir caso a caso nas empresas e setores de atividade", disse.

Segundo Arménio Carlos, as 35 horas de trabalho semanal já são praticadas em muitos setores e empresas, abrangendo mais de 100 mil trabalhadores.

"Nos últimos 42 anos a contratação coletiva tem sido muito dinâmica, conseguindo horários abaixo do que a lei estipula (atualmente 40 horas)", disse.

Referiu como exemplo as cimenteira Cecil e Cimpor, que praticam 39 horas na fabricação e 37 na área administrativa, a vidreira Sekurite/Saint-Gobain, com 35 horas, e as pousadas Pestana, com 39 horas na época alta e 37 na baixa.

As indústrias metalúrgica e a elétrica, os transportes e o setor financeiro foram outros exemplos do setor privado salientados pelo sindicalista como praticantes de horários entre as 35 e as 39 horas de trabalho semanal.

Hoje vai ser discutida e votada na especialidade no parlamento a proposta legislativa para repor as 35 horas de trabalho semanal na administração pública no dia 01 de julho.

O horário de trabalho na Função Pública aumentou de 35 horas para 40 horas semanais em setembro de 2013, sem o correspondente aumento de salário, o que tem suscitado a contestação dos trabalhadores e dos seus sindicatos, que continuam a condenar a possibilidade de as 40 horas continuarem a ser praticadas nalguns setores, nomeadamente na saúde.

A reposição do horário das 35 horas corresponde a uma das promessas do atual Governo, sendo que o ministro das Finanças tem reiterado que a medida não pode implicar aumento de custos para o Estado.

  • "Já só lhes resta uma coisa: bisbilhotar comunicações privadas"
    2:57

    Caso CGD

    O primeiro-ministro diz que o PSD atingiu o grau zero da política, quando chegou à "bisbilhotice" de querer ver as mensagens trocadas entre o ministro das Finanças e António Domingues. A polémica da Caixa Geral de Depósitos voltou a marcar o debate quinzenal, com António Costa a garantir que nunca esteve em causa a entrega de declarações da administração. Já o PSD e o CDS a acusaram o Governo de violar as regras da transparência e de oprimir os direitos da oposição.

  • Compensa comprar a granel?
    8:39
  • Técnica de defesa contra aperto de mão de Donald Trump
    1:39
  • Vídeo mostra aterragem de Harrison Ford que quase causou um desastre

    Mundo

    Harrison Ford quase provocou um grave acidente quando, ao pilotar um dos seus aviões, falhou a pista de aterragem e esteve muito perto de chocar contra um um Boeing 737, com mais de 100 pessoas a bordo. O incidente com o ator norte-americano, considerado um piloto experiente, aconteceu na passada segunda-feira, dia 13, no Condado de Orange, na Califórnia, e o momento foi captado em vídeo.

  • Descoberta nova espécie de primatas em Angola

    Mundo

    Uma equipa britânica de cientistas descobriu uma nova espécie de galagos anões, um primata pertencente à família dos galonídeos - comum na África subsariana -, na floresta ameaçada da Kumbira, localizada na província do Cuanza Sul, noroeste de Angola.

  • Vestidos da princesa Diana em exposição
    1:29

    Mundo

    As roupas mais emblemáticas da princesa Diana vão estar em exposição no Palácio de Kensington, em Londres, a partir de sexta-feira. O objetivo é mostrar a evolução do estilo da princesa de Gales, considerada um dos maiores ícones de moda de sempre.