sicnot

Perfil

Economia

Parlamento debate hoje inventariação dos bens culturais do BPN e BPP

Um projeto de resolução do Bloco de Esquerda, que determina a inventariação dos bens culturais das empresas Parvalorem, da Parups e da Fundação Elipse, vai ser discutido hoje, em plenário, a partir das 15:00, no parlamento, em Lisboa.

© Jose Manuel Ribeiro / Reuters

Trata-se do projeto de resolução n.º 335/XIII/1.ª, que determina também a inventariação de outros ativos incluídos no perímetro da nacionalização do Banco Português de Negócios (BPN), e à guarda do Estado, na sequência do processo de resgate do Banco Privado Português (BPP).

No requerimento, o Bloco de Esquerda (BE) alerta que o processo dos quadros de Juan Miró, provenientes da nacionalização do BPN - tornado público em 2013 -, deu a conhecer "as fragilidades dos serviços do Estado perante a vontade política do momento que (...) influencia processos técnicos de forma avessa ao interesse público".

A Parups e a Parvalorem são as sociedades de capitais públicos criadas em 2010, para gerir os ativos e recuperar os créditos do ex-BPN, cujo património continha a coleção de 85 obras de Joan Miró (1893 -1983), e mais 247 obras de arte de artistas portugueses e estrangeiros.

No ano passado, o novo Governo anunciou que a coleção Miró era para manter em Portugal e exibir no Museu de Serralves este ano, mas ainda não foram dadas respostas oficiais definitivas sobre a coleção de 175 obras de arte do BPN, que a Parvalorem anunciou que iria vender, bem como das 46 obras que a tutela do antigo secretário de Estado da Cultura Jorge Barreto Xavier, do Governo PSD/CDS, afirmou que pretendia adquirir para museus nacionais.

Os bloquistas defendem a inventariação de todos os ativos culturais do ex-BPN e do ex-BPP, e a sua conservação como "proteção do património cultural, mas também de controlo de capitais" e, ainda, o "mapeamento de bens culturais públicos distribuídos pelos edifícios e entidades públicas".

As votações estão previstas para o final da sessão de quinta-feira.

Lusa

  • Bomba encontrada na Nazaré pode ter sido largada durante 2.ª Guerra Mundial
    2:26

    País

    A bomba que esta segunda-feira veio nas redes de um arrastão na Nazaré já foi detonada. O engenho explosivo foi identificado como uma bomba de avião por especialistas da Marinha, que eliminaram também o perigo equivalente a 600 quilogramas de TNT. A bomba sem qualquer inscrição tinha um desgaste evidente e, segundo a Marinha, pode ter sido largada de um avião durante a 2.ª Guerra Mundial.

  • Derrocada de muro em Lisboa obriga à retirada de 40 pessoas de 5 prédios
    2:14

    País

    Os moradores de três prédios de Lisboa não podem regressar tão cedo a casa. Durante a madrugada, a derrocada de um muro obrigou à retirada de 40 pessoas de cinco edifícios. Um dos inquilinos sofreu ferimentos ligeiros. Entretanto, a maioria dos residentes já foi realojada em casas de familiares e num hotel.

  • "Geringonça" elogiada na Europa e EUA
    4:22

    País

    Num momento em que por cá se fala de claustrofobia democrática, a Europa e os Estados Unidos desdobram-se em elogios ao sucesso da maioria de Esquerda em Portugal. A palavra "geringonça" já tem até tradução em várias línguas.

  • ONU estima que mais 750 mil civis estejam em risco na cidade de Mossul
    1:39

    Mundo

    As Nações Unidas estimam que mais 750 mil civis estejam em risco na zona ocidental de Mossul, no Iraque. Mais de 10 mil pessoas fugiram da zona ocidental da cidade nos últimos quatro dias. Enquanto a população tenta escapar ao fogo cruzado, as forças iraquianas avançam sobre a cidade ainda controlada pelo Daesh.