sicnot

Perfil

Economia

Quebra de 80% na produção de cereja da Penajóia

Quebra de 80% na produção de cereja da Penajóia

As cerejas de Penajóia costumam ser as primeiras a entrar no mercado. No entanto, este ano a chuva atrasou o processo e dizimou cerca de 80% da produção. Os produtores andam agora na apanhada daquilo que resto, de modo a garantirem pelo menos a qualidade. O preço por quilograma ronda os cinco euros, quase o dobro em relação aos anos anteriores.

  • Filhoses de cereja fazem sucesso na Covilhã
    1:48

    País

    A cereja é fruto versátil e serve de base a várias iguarias. Na Covilhã, a novidade são as filhoses de cereja apreciadas não apenas no Natal, mas durante todo o ano. A iguaria é feita com base numa receita antiga que Teresa Simão inovou.

  • Feira da Cereja de Proença-a-Nova sem cereja
    1:35

    País

    Em Proença-a-Nova decorre este fim de semana a Feira da Cereja mas este ano sem uma única cereja para amostra. O mau tempo afetou a produção e atrasou a maturação do fruto. Ainda assim o certame conta com uma variedade de produtos feitos à base de cereja.

  • Folar de cereja e ouro é a novidade desta Páscoa no Fundão
    2:37

    Cultura

    No Fundão uma pastelaria apostou num novo produto para a Páscoa, um folar de cereja e ouro. Uma novidade com quatro camadas de recheio e com folhas em ouro comestíveis, feita com ovos-moles, fios de ovos e doce de cereja. O novo folar surgiu para valorizar o fruto típico da região e captar novos clientes.

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.

  • 700 milhões para armamento e equipamento militar
    1:16

    País

    Portugal vai investir nos próximos anos 700 milhões de euros em armas e equipamento militar. Segundo a imprensa de hoje, o objetivo é colocar algumas áreas das Forças Armadas a um nível similar ao dos outros aliados da NATO. É o maior volume de programas de aquisição dos últimos anos e parte das verbas vão beneficiar a indústria portuguesa que fabrica aviões, navios-patrulha, rádios e sistemas de comando e controlo.

  • Princesa Diana morreu há 20 anos. Filhos falam pela 1ª vez da intimidade
    1:15