sicnot

Perfil

Economia

Assunção Cristas responsabiliza António Costa por eventuais sanções a Portugal

A líder do CDS, Assunção Cristas, responsabilizou hoje o primeiro-ministro, o socialista António Costa, por eventuais sanções que venham a ser aplicadas a Portugal, devido ao défice excessivo de 2015.

MIGUEL A. LOPES

A dirigente centrista, que falava aos jornalistas na cidade da Horta, nos Açores, à margem das jornadas parlamentares do CDS que hoje tiveram início no arquipélago, assegurou, mesmo assim, que o seu partido irá empenhar-se para evitar que essas sanções venham a ser aplicadas.

"Nós não deixaremos de estar neste debate, não deixaremos de estar presentes e mostraremos a nossa visão das coisas", declarou Assunção Cristas, que considera existir uma "unanimidade" em todo o país contra a aplicação de sanções europeias a Portugal.

A líder nacional do CDS entende, no entanto, que o Governo ainda possui as "ferramentas" para evitar sanções, lamentando, porém, que não as tenha querido utilizar até agora.

"Não há dúvida nenhuma de que está nas mãos no primeiro-ministro evitar que o défice para 2015 seja fixado em 3,2% e eu não vi o senhor primeiro-ministro empenhar-se nisso", lamentou Assunção Cristas, que lembrou que António Costa não fez "voz grossa em Bruxelas", nem apresentou qualquer explicação "técnica" ou "política" sobre o assunto.

No seu entender, o apelo do Governo a um eventual envolvimento dos partidos políticos nesta matéria não passa de uma "habilidade política" e de uma vontade de "atirar areia para os olhos dos portugueses".

"Ele é que está a governar, é ele que tem nas suas mãos as ferramentas para evitar as sanções, não são os outros partidos", insistiu a dirigente centrista, acrescentando que "a responsabilidade é dele, é deste Governo e de quem o apoia".

As declarações de Assunção Cristas surgem em reação às notícias que dão conta de que o Estado português poderá vir a ser sancionado por Bruxelas, por ter ultrapassado a meta do défice fixada para 2015 (3%).

Lusa

  • Será que lavar em lavandarias self-service compensa?
    8:21
  • Explosão próximo do aeroporto de Damasco

    Mundo

    A televisão do movimento xiita libanês Hezbollah, aliado do regime sírio, noticiou hoje que a explosão ocorrida esta madrugada perto do aeroporto de Damasco "foi provavelmente" resultado de um ataque israelita contra depósitos de combustível.

  • Dois em cada três portugueses vivem vidas sedentárias

    País

    Com menos de hora e meia de exercício semanal, mais de dois terços dos portugueses vivem vidas sedentárias. E a maioria desvaloriza a importância da atividade física, segundo um inquérito divulgado esta quinta-feira pela Fundação Portuguesa de Cardiologia.

  • Depois de dar a volta (de bicicleta de Lisboa a Setúbal)

    País

    Missão cumprida. A SIC foi dar uma volta de bicicleta, acompanhando a primeira etapa de uma iniciativa que pretende impulsionar o uso dos velocípedes no país. Ao longo desta quarta-feira, publicámos vários vídeos em direto na página de Facebook da SIC Notícias, que aqui reunimos, em jeito de balanço.

    Ricardo Rosa

  • Os filhos do divórcio
    20:50
  • Carro que atropelou adepto encontrado na casa de um amigo do suspeito
    2:18

    Desporto

    O carro que terá atropelado o adepto italiano que morreu junto ao Estádio da Luz foi encontrado esta terça-feira, numa garagem na Amadora, na casa de um amigo do suspeito. Trata-se de um homem na casa dos 30 anos que pertence à claque No Name boys e é agora procurado pela Polícia Judiciária.

  • "Esta moda bizarra de não vacinar crianças tem tido estas consequências"
    1:43

    Surto de sarampo

    Há mais um caso de sarampo registado pela Direção-Geral da Saúde, no total já são 25. Francisco George garantiu que a situação não é preocupante para as crianças em idade escolar e recomendou uma discussão parlamentar sobre a vacinação. Mais de 11 mil pessoas já assinaram uma petição pública a defender a vacinação obrigatória. 

  • Web Summit inaugura primeiro escritório fora da Irlanda em Lisboa
    1:58

    Web Summit

    A Web Summit inaugurou em Lisboa o primeiro escritório fora da Irlanda, que vai dar emprego a 20 pessoas, algumas portuguesas. O próximo objectivo é alargar eventos a outros pontos do país. A conferência internacional regressa a Lisboa entre 6 e 9 de novembro e a organização espera ter 60 mil participantes.