sicnot

Perfil

Economia

Taxas Euribor caem para mínimos a 3, 6 e 9 meses

As taxas Euribor caíram hoje a três, seis, nove e 12 meses, para mínimos de sempre nos primeiros três prazos, em relação a sexta-feira.

As taxas Euribor continuam em queda / Reuters

As taxas Euribor continuam em queda / Reuters

© Kai Pfaffenbach / Reuters


A taxa Euribor a seis meses, a mais utilizada em Portugal nos créditos à habitação e que entrou em terreno negativo pela primeira vez a 06 de novembro passado, desceu hoje para -0,157%, novo mínimo de sempre e menos 0,003 pontos do que na sexta-feira.

A Euribor a três meses, em valores negativos desde 21 de abril de 2015, foi hoje fixada em -0,262%, menos 0,001 pontos do que no final da semana e atual mínimo de sempre, registado pela primeira vez em 2 de junho.

No prazo de nove meses, a Euribor foi fixada em 0,089%, novo mínimo de sempre e menos 0,001 pontos do que na sexta-feira.

Depois de ter sido fixada em valores negativos entre 27 de novembro e 03 de dezembro, a Euribor a nove meses voltou para níveis abaixo de zero a 07 de janeiro passado, nos quais se tem mantido desde então.

No prazo de 12 meses, a Euribor, que desceu para valores abaixo de zero pela primeira vez a 05 de fevereiro passado, também caiu hoje, para -0,018%, menos 0,002 pontos do que na sexta-feira e depois de em 04 de março ter descido para -0,028%, atual mínimo de sempre.

As Euribor são fixadas pela média das taxas às quais um conjunto de 57 bancos da zona euro está disposto a emprestar dinheiro entre si no mercado interbancário.

Lusa

  • Marido de idosa que morreu na Sertã teve de caminhar durante duas horas para pedir ajuda
    1:44

    País

    A Altice garantiu esta sexta-feira que tentou agendar, por duas vezes, a reposição da linha telefónica na casa da idosa da Sertã, que morreu na semana passada por não ter comunicações que permitissem um socorro rápido. A mulher sentiu-se mal e o marido teve de caminhar durante duas horas para conseguir chegar à casa do vizinho mais próximo e pedir ajuda.

  • "Situação humanitária dos civis em Ghouta é aterradora"
    0:49

    Mundo

    O enviado especial da ONU para a Síria lançou esta sexta-feira um novo apelo a um cessar-fogo. O responsável está particularmente preocupado com a situação da população civil e diz que é preciso evitar que se repita em Ghouta o que se passou em Alepo.

  • Como é que alguém (Rúben Semedo) com tanto pode perder tudo?
    3:05
  • Instantes de uma noite de futebol europeu
    0:41
  • Não dá mais, Brasil!
    18:00