sicnot

Perfil

Economia

Lancôme encerra lojas em Hong Kong perante protestos

A empresa de cosméticos Lancôme fechou hoje alguns dos seus espaços comerciais em Hong Kong perante a marcação de protestos por a marca ter cancelado um concerto de uma cantora local crítica da China.

© Charles Platiau / Reuters

A cantora Denise Ho pediu na terça-feira explicações à marca francesa por a Lancôme lhe ter cancelado um concerto, alegadamente devido às suas convicções políticas.

O balcão de venda da marca no maior centro comercial de Times Square, em Hong Kong, foi hoje encerrado, assim como o centro de beleza que a marca possui no mesmo edifício, depois de se saber que foi convocado um protesto para a tarde nas imediações.

O organizadores do protesto avisaram que que poderão promover outras iniciátivas se não houver resposta da marca, que faz parte do grupo L'Orèal.

"O objetivo deste protesto é mostrar ao mundo que devemos manter-nos juntos e, através do boicote [aos seus produtos], mostrar à Lancôme e à L'Orèal que não se podem focar apenas no mercado chinês", afirmou Avery Ng, da Liga dos Sociais-Democratas, um dos 12 grupos que planeiam juntar-se ao protesto agendado para a tarde de hoje.

Os escritórios da L'Orèal em Hong Kong estão também encerrados e os meios de comunicação locais referem que os funcionários da empresa receberam uma nota interna na terça-feira a dizer-lhes para tirarem folga hoje.

Entretanto, foi também lançada uma petição na internet para apelar ao boicote dos produtos da Lancôme que já reuniu mais de 4.000 assinaturas.

O concerto promocional de Denise Ho, agendado para dia 19, foi cancelado após reações negativas nas redes sociais da China continental ao apoio da artista ao Tibete e a movimentos pró-democracia como o Occupy Central (de Hong Kong).

Em comunicado, Ho considerou a situação "extremamente lamentável", indicando estar a ser castigada por defender os seus direitos e afirmar as suas convicções.

No domingo, a Lancôme disse que o evento foi cancelado devido a "possíveis motivos de segurança".

A reação dos internautas chineses surgiu em resposta a uma publicação do jornal de Pequim Global Times, no microblogue Weibo. O jornal questionou o evento, acusando a empresa de cooperar com "veneno de Hong Kong" e "veneno do Tibete", ou seja, com uma apoiante da autonomia de Hong Kong e do Tibete.

Alguns internautas chineses começaram, então, a apelar a um boicote à Lancôme. Após o anúncio do cancelamento do concerto, surgiram novas ameaças de boicote, desta feita do 'outro lado da barricada'.

O Gobal Times reagiu à notícia, dizendo que a marca francesa revelou "sabedoria" ao cancelar o concerto. Para o jornal, "os motivos são óbvios": "Aparentemente, a Lancôme tomou mais em consideração os sentimentos do público da China continental, porque a China representa um mercado muito maior do que Hong Kong".

"Como empresa, deve procurar ganhos comerciais, uma sabedoria que deve revelar em situações complexas", escreveu.

Lusa

  • Autarca e duas jornalistas mortas a tiro na Finlândia 

    Mundo

    A presidente da Câmara de Imatra, na Finlândia, e duas jornalistas foram mortas a tiro na noite passada, na pequena cidade do sudeste do país. O incidente aconteceu junto a um restaurante e a polícia chegou ao local pouco depois dos disparos. Um suspeito de 23 anos já foi detido.

  • Avião da Qatar Airways aterra de emergência nas Lajes
    0:47

    País

    Aterrou de emergência nos Açores, esta manhã, um avião da Qatar Airways. A turbulência obrigou à manobra que causou pelo menos 10 feridos nos passageiro do avião que fazia ligação de Washington para Doha, capital do Qatar, e foi desviado para a base aérea das Lajes.

  • Óscar do turismo para empresa que gere património de Sintra
    1:51

    Cultura

    A Parques de Sintra ganhou, pelo quarto ano consecutivo, os World Travel Awards na categoria de "Melhor Empresa de Conservação do Mundo". A empresa portuguesa, que gere monumentos, parques e jardins situados na zona da Paisagem Cultural de Sintra e em Queluz, voltou a ser a única nomeada europeia na categoria, e foi a vencedora entre candidatos de todo o mundo.

  • O novo coala do zoo de Lisboa
    3:10

    País

    A SIC acompanhou em exclusivo a transferência de uma coala da Alemanha para o Zoo de Lisboa. O animal veio de avião e foi batizado pelos passageiros que seguiam a bordo. Ficou com o nome de Goolara. O coala é uma fêmea, com quase dois anos, e veio para aumentar a família da mesma espécie em Portugal.

  • Jovens do exército russo aderem ao Desafio do Manequim
    1:01

    Mundo

    Na Rússia, o grupo de jovens do exército também já aderiu ao famoso Mannequin Challenge. O vídeo foi divulgado pelo Ministério da Defesa russo. O objetivo é mostrar o dia-a-dia do chamado exército de jovens, cuja principal missão passa por sensibilizar os russos para a necessidade de cumprir o serviço militar obrigatório.