sicnot

Perfil

Economia

TAAG contrata britânicos para servir de cargueiro para a Europa

A britânica Network Airline Management foi contratada pela companhia aérea estatal angolana TAAG para realizar semanalmente um voo de carga entre Liège, na Bélgica, e Luanda, com recurso a um Boeing 747-400F, um dos maiores aviões-cargueiro do mundo.

A responsável da DGS explicou que as tripulações das companhias aéreas  estão treinadas para detetar quaisquer sinais de doença ou de alarme (Arquivo Lusa)

A responsável da DGS explicou que as tripulações das companhias aéreas  estão treinadas para detetar quaisquer sinais de doença ou de alarme (Arquivo Lusa)

LUSA

A informação consta de uma nota da própria Network Airline Management, especialista neste tipo de frete aéreo, acrescentando que a ligação semanal permitirá transportar até 120 toneladas de óleo, derivados do género e carga geral, "fornecendo capacidade de exportação de Angola para toda a Europa", com as ligações a partir de Liège.

A empresa refere tratar-se de um contrato de "longa duração" com a TAAG, mas sem especificar valores envolvidos no negócio. Acrescenta apenas que será fornecida a Luanda capacidade para transportar carga de grandes dimensões e de peças de até vinte metros de comprimento.

"A intenção será a de desenvolver o serviço duas vezes por semana no futuro próximo", refere a mesma informação da Network Airline Management, que opera com mais de 30 escritórios em todo o mundo.

O presidente do conselho de administração da TAAG, o britânico Peter Hill, admitiu em maio que ainda não será em 2016 que a transportadora aérea angolana pública inverte os resultados negativos, algo que só espera que aconteça num horizonte de três anos.

"A companhia já opera com resultados negativos há algum tempo, o nosso objetivo a três anos é, pelo menos, atingir o 'break-even' [gerar recursos para garantir a operação]. É um grande desafio", admitiu Peter Hill, questionado pela agência Lusa, em Luanda.

O Governo angolano e a Emirates Airlines assinaram em 2015 um contrato de gestão, prevendo a introdução de uma "gestão profissional de nível internacional" na TAAG, a melhoraria "substancial da qualidade do serviço prestado" e o saneamento financeiro da companhia angolana, que em 2014 registou prejuízos de 99 milhões de dólares (cerca de 87 milhões de euros).

Peter Hill foi indicado pela Emirates para administrar a companhia de bandeira angolana, tendo tomado posse no final do ano. Garante que colocar a TAAG a dar lucro é um objetivo: "Se vai acontecer? Eu e a minha equipa vamos fazer de tudo para que assim aconteça", afirmou.

No âmbito do Contrato de Gestão da transportadora pública angolana celebrado com a Emirates para o período entre 2015 e 2019, prevê-se dentro de cinco anos resultados operacionais positivos de 100 milhões de dólares.


Lusa

  • Principais factos da acusação no caso BPN dados como provados

    País

    O coletivo de juízes responsável pelo julgamento do processo principal do caso BPN interrompeu perto das 13:00 a leitura do acórdão iniciada pelas 10:30. Os principais factos da acusação são dados como provados, mas a leitura deverá demorar algumas horas.

  • Greve na Função Pública vai afetar escolas, saúde e cultura

    País

    A greve nacional convocada para sexta-feira pela Federação Nacional dos Sindicatos da Função Pública (FNSTFPS) deverá afetar as escolas, a área da saúde e ainda da cultura, entre outros serviços, afirmou esta quarta-feira a dirigente sindical, Ana Avoila.

  • Papa pede a Trump para ser pacificador
    1:12
  • Supremo confirma condenação de Messi por fraude fiscal

    Desporto

    O Supremo Tribunal de Justiça espanhol confirma a condenação de Lionel Messi por fraude fiscal. A notícia foi avançada pelo El País. O jogador do Barcelona foi condenado a 21 meses de prisão por três crimes fiscais que lesaram o Estado em 4,1 milhões de euros.

  • Autódromo do Estoril está ilegal há 45 anos

    Desporto

    De acordo com o Público este equipamento desportivo, inaugurado na década de 70, não tem licença de construção nem de utilização. Uma notícia que apanhou de surpresa o executivo camarário de Cascais, liderado por Carlos Carreiras.

  • Seca na Bacia do Sado exige restrições ao uso da água no Alentejo

    País

    A Agência Portuguesa do Ambiente aprovou hoje um conjunto de medidas para gestão dos recursos hídricos, definindo medidas específicas para a bacia hidrográfica do Sado, a única que se encontra em situação de seca. Além da diminuição de regas em hortas e jardins, a APA recomenda o encerramento das fontes decorativas, a proibição de encher piscinas e de lavagem de automóveis.