sicnot

Perfil

Economia

Volkswagen vai chamar às oficinas 1,1 milhões de veículos

A Volkswagen informou hoje que as autoridades alemãs aprovaram soluções técnicas para 1,1 milhões de veículos do grupo afetados pela manipulação das emissões de gases poluentes.

© Suzanne Plunkett / Reuters

Na sequência da decisão do regulador alemão de transporte automobilístico (KBA), o grupo tem luz verde para chamar às oficinas mais 1,1 milhões de veículos comerciais da Volkswagen e da Audi.

Na semana passada, as autoridades alemãs autorizaram soluções técnicas para os modelos Passat, CC e Eos, também com um motor TDI EA 189 de 2,0 litros.

Serão chamados à revisão os modelos Golf, Passat e Tiguan da Volkswagen e ao A4, A5, A6 e Q5, da Audi. Os motores díesel de 1,2 litros, 1,6 litros e 2 litros necessitam de uma atualização de 'software' que, segundo a Volkswagen, se realiza em menos de meia hora.

A Volkswagen, recentemente envolvida num escândalo mundial de manipulação de emissões poluentes em motores diesel anunciou, a 31 de maio último, uma queda nos lucros de 20,1%, para 2,31 mil milhões de euros, no período de janeiro a março, registando-se uma quebra de 3,4% nas vendas, para 50,96 mil milhões de euros.

Apesar do escândalo, divulgado em setembro de 2015 e relativo aos 11 milhões de motores diesel identificados com defeito, o número de veículos vendidos pela empresa alemã Volkswagen subiu 0,8%, para 2.508 milhões de unidades em todo o mundo.

Lusa

  • Fogo em Setúbal dominado
    2:31

    País

    O incêndio que deflagrou na terça-feira em Setúbal está dominado. As chamas chegaram a ameaçar as casas, o que obrigou à retirada de cerca de 500 pessoas das habitações, como medida de precaução. Também o Hotel do Sado teve de ser evacuado.

  • "Lancei um tema que os portugueses há muito queriam discutir"
    11:26
  • Danos Colaterais 
    18:55
    Reportagem Especial

    Reportagem Especial

    Jornal da Noite

    Nos últimos oito anos a banca perdeu 12 mil profissionais. A dimensão de despedimentos no setor é a segunda maior da economia portuguesa, só ultrapassada pela construção civil. A etapa mais complexa da história começou em 2008, com a nacionalização do BPN. Desde então, as saídas têm sido a regra. A reportagem especial desta terça-feira, "Danos Colaterais", dá voz aos despedidos da banca.