sicnot

Perfil

Economia

Governo espera que negociações evitem greves na aviação

O ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, afirmou hoje que o Governo está a acompanhar as negociações no setor da aviação e disse esperar que as greves não se realizem.

© Paulo Whitaker / Reuters

"Estamos a acompanhar com as empresas a situação, sabemos que estão em curso negociações entre os sindicatos e as empresas e, obviamente, desejamos que as coisas cheguem a bom porto para que estas greves, no limite, se for o caso, não se cheguem a realizar", referiu Pedro Marques à margem de uma visita a uma fábrica na Golegã.

O ministro comentava as duas greves que poderão ocorrer no setor da aviação: uma que envolve os trabalhadores dos serviços de assistências nos aeroportos ('handling') e outra que envolve os tripulantes da TAP.

No passado dia 02 de junho, o Sindicato dos Trabalhadores da Aviação e Aeroportos (SITAVA) anunciou um pré-aviso de greve para os dias 01,02 e 03 de julho contra a precariedade dos trabalhadores do 'handling' que abrange, não só as empresas Groundforce e Portway, mas também todos os trabalhadores de empresas de trabalho temporário e prestadoras de serviço que atuam na área do 'handling'.

Entretanto, cinco dias depois, o Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC) anunciou que vai avançar para a greve caso a TAP não altere as condições de descanso dos tripulantes nas rotas de Boston e Nova Iorque, operadas pelos aviões cedidos pela Azul.

Pedro Marques assegurou que o executivo está a "acompanhar" a situação e disse esperar que, "quer na TAP, quer no 'handling', as coisas se vão resolvendo", mas reconheceu que "algumas questões são complexas e envolvem questões de posicionamentos de mercado".

"Obviamente, pretendemos que o país continue a oferecer uma imagem positiva de acolhimento dos turistas e, basicamente, nesta altura desejamos a paz social nas empresas e que o turismo e o transporte aéreo continuem a crescer como têm crescido até aqui", rematou o membro do Governo.

Lusa

  • Sindicato Nacional do Pessoal de Voo ameaça marcar nova greve na TAP

    Economia

    O Sindicato Nacional do Pessoal de Voo ameaça marcar uma nova greve na TAP.Os tripulantes de cabine queixam-se de falta de condições de descanso nos novos aviões da companhia. Em causa estão os dois aparelhos de longo curso que a companhia vai utilizar nas novas rotas para os Estados Unidos e que foi buscar à brasileira Azul, de David Neeleman.

  • Não houve negligência médica no caso do jovem que morreu em São José
    2:33

    País

    Afinal, não houve negligência médica no caso do jovem que morreu há cerca de um ano no Hospital de São José, vítima de um aneurisma. Esta é a conclusão da Ordem dos Médicos e dos peritos do Instituto de Medicina Legal. Segundo o jornal Expresso, todos os relatórios relatórios pedidos pelo Ministério Público e pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central dizem que o corpo clínico do hospital não teve responsabilidades na morte de David Duarte.

  • Jovens estariam de fones e poderão não ter ouvido comboio a aproximar-se
    1:47

    País

    As adolescentes, de 13 e 14 anos, encontradas mortas junto à linha do norte perto de Coimbra podem não ter ouvido a aproximação do comboio, uma vez que estariam de auriculares. Os corpos só foram descobertos 36 horas depois do desaparecimento das jovens, aparentemente vítimas de um descuido fatal.

  • Patti Smith engana-se na música de Bob Dylan durante cerimónia dos Nobel
    1:49

    Mundo

    Os prémios Nobel deste ano já foram entregues. Bob Dylan não compareceu à entrega do galardão da Literatura e fez-se representar pela amiga Patti Smith, que teve um bloqueio enquanto cantava "A Hard Rain's A-Gonna Fall" do músico. O Presidente da Colômbia Juan Manuel dos Santos foi distinguido com o Nobel da paz pelo acordo que alcançou com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

  • CIA acredita que Trump foi ajudado por piratas informáticos russos
    1:24

    Eleições EUA 2016

    As eleições nos Estados Unidos da América já terminaram e o Presidente está eleito. Contudo, Barack Obama quer saber se os russos tentaram mesmo influenciar o voto e ao mesmo tempo perceber o que os serviços secretos aprenderam com todas as fugas de informação durante a campanha. Já a CIA diz não ter dúvidas: para os serviços secretos norte-americanos, Donald Trump foi ajudado por piratas informáticos.