sicnot

Perfil

Economia

BCP caiu mais 4,5% em bolsa

O BCP caiu hoje mais 4,5%, cada acção vale agora menos de 2 cêntimos.

Graças à reestruturação em curso, no que toca à atividade doméstica, os custos operacionais em Portugal caíram mais de 8% para 475,2 milhões de euros. (Arquivo)

Graças à reestruturação em curso, no que toca à atividade doméstica, os custos operacionais em Portugal caíram mais de 8% para 475,2 milhões de euros. (Arquivo)

© Hugo Correia / Reuters

O banco está a descer desde quarta feira e, só nestas 5 sessões, já perdeu mais de 24%, quase um quinto do valor que tinha na semana passada.

Aa bolsa de Lisboa foi mesmo a que afundou mais, num dia marcado por fortes quedas na Europa, no petróleo e no euro.

Os investidores estão muito nervosos com a possibilidade de o Reino Unido decidir sair da União Europeia. O referendo é já daqui a 9 dias e as últimas sondagem apontam para a vitória, ainda que ligeira, do "Sim".

  • Ações do BCP caem 8,2% e atingem mínimo histórico

    Economia

    O BCP perdeu hoje mais 8% na bolsa de Lisboa. As ações atingiram mais um mínimo histórico e valem agora apenas 2 cêntimos. Depois de uma breve recuperação na terça feira passada, o BCP voltou de novo às quedas. Em apenas quatro sessões já perdeu quase 21%. As razões são as mesmas dos últimos tempos: os receios dos investidores quanto à capacidade do banco em cumprir as exigêncas do BCE e em pagar antecipadamente o que deve ao Estado.

  • Presidente do BCP diz que o banco está preparado para o futuro
    1:51

    Economia

    Depois de um enorme trambolhão, o BCP disparou hoje mais de 16% na bolsa de Lisboa, mas por enquanto, nada que compense as quedas dos últimos dias. O presidente do banco já veio garantir que vai manter uma forte disciplina financeira e que não tenciona fazer qualquer aumento de capital para concorrer à compra do Novo Banco.

  • Um retrato devastador do "pior dia do ano"
    2:47
  • Um olhar sobre a tragédia através das redes sociais
    3:22
  • "Estão a gozar com os portugueses, esta abordagem tem de mudar"
    6:45

    Opinião

    José Gomes Ferreira acusa as autoridades e o poder político de continuarem a abordar o problema da origem dos fogos de uma forma que considera errada. Em entrevista, no Primeiro Jornal, o diretor adjunto da SIC, considera que a causa dos fogos "é alguém querer que a floresta arda". José Gomes Ferreira sublinha que não se aprendeu com os erros e que "estão a gozar com os portugueses".

    José Gomes Ferreira

  • "Os portugueses dispensam um chefe de Governo que lhes diz que isto vai acontecer outra vez"
    6:32

    Opinião

    Perante o cenário provocado pelos incêndios, os portugueses querem um chefe de Governo que lhes diga como é que uma tragédia não volta a repetir-se e não, como disse António Costa, que não tem uma fórmula mágica para resolver o problemas dos fogos florestais. A afirmação é de Bernardo Ferrão, da SIC, que questiona ainda a autoridade da ministra da Administração Interna para ir a um centro de operações, uma vez que é contestada por toda a gente.

  • Portugal precisa de "resultados em contra-relógio, após décadas de desordenamento florestal"
    1:18