sicnot

Perfil

Economia

BCP caiu mais 4,5% em bolsa

O BCP caiu hoje mais 4,5%, cada acção vale agora menos de 2 cêntimos.

Graças à reestruturação em curso, no que toca à atividade doméstica, os custos operacionais em Portugal caíram mais de 8% para 475,2 milhões de euros. (Arquivo)

Graças à reestruturação em curso, no que toca à atividade doméstica, os custos operacionais em Portugal caíram mais de 8% para 475,2 milhões de euros. (Arquivo)

© Hugo Correia / Reuters

O banco está a descer desde quarta feira e, só nestas 5 sessões, já perdeu mais de 24%, quase um quinto do valor que tinha na semana passada.

Aa bolsa de Lisboa foi mesmo a que afundou mais, num dia marcado por fortes quedas na Europa, no petróleo e no euro.

Os investidores estão muito nervosos com a possibilidade de o Reino Unido decidir sair da União Europeia. O referendo é já daqui a 9 dias e as últimas sondagem apontam para a vitória, ainda que ligeira, do "Sim".

  • Ações do BCP caem 8,2% e atingem mínimo histórico

    Economia

    O BCP perdeu hoje mais 8% na bolsa de Lisboa. As ações atingiram mais um mínimo histórico e valem agora apenas 2 cêntimos. Depois de uma breve recuperação na terça feira passada, o BCP voltou de novo às quedas. Em apenas quatro sessões já perdeu quase 21%. As razões são as mesmas dos últimos tempos: os receios dos investidores quanto à capacidade do banco em cumprir as exigêncas do BCE e em pagar antecipadamente o que deve ao Estado.

  • Presidente do BCP diz que o banco está preparado para o futuro
    1:51

    Economia

    Depois de um enorme trambolhão, o BCP disparou hoje mais de 16% na bolsa de Lisboa, mas por enquanto, nada que compense as quedas dos últimos dias. O presidente do banco já veio garantir que vai manter uma forte disciplina financeira e que não tenciona fazer qualquer aumento de capital para concorrer à compra do Novo Banco.

  • PSD e CDS assinalam 36º aniversário da morte de Francisco Sá Carneiro
    1:38

    País

    O presidente do PSD deixou críticas ao Partido Comunista, este domingo, a propósito do aniversário da morte de Francisco Sá Carneiro. Pedro Passos Coelho lembrou os festejos dos comunistas na altura, numa resposta a quem questionou a abstenção dos sociais-democratas ao voto de pesar a Fidel Castro, que o PCP levou ao Parlamento. Este domingo, tanto o PSD como o CDS-PP prestaram homenagem a Sá Carneiro e Adelino Amaro da Costa.