sicnot

Perfil

Economia

Costa diz que está quase tudo pronto para a injeção de capital público na CGD

Costa diz que está quase tudo pronto para a injeção de capital público na CGD

O primeiro-ministro diz que está quase tudo pronto com Bruxelas para a injecção de dinheiro público na Caixa Geral de Depósitos. Ainda assim, António Costa continua sem revelar qual é o valor de que o banco do Estado precisa, numa altura em que se sabe que a Caixa pode não conseguir reaver mais de 2 mil milhões de euros em empréstimos considerados problemáticos. Uma auditoria revela que muitos créditos foram mal avaliados. Costa lembra que o plano de reestruturação é a quatro ou cinco anos.

  • "António Costa e Passos Coelho conseguem entender-se pela negativa para não fazer inquérito à CGD"
    25:52

    Luís Marques Mendes

    No habitual comentário semanal, Luís Marques Mendes referiu que "António Costa e Passos Coelho conseguem entender-se pela negativa para não fazer inquérito à Caixa Geral de Depósitos", referindo ainda que "houve hipocrisia dos partidos" e que "o argumento do PCP é o máximo da hipocrisia", bem como o silêncio do PS, PSD e CDS. Marques Mendes comentou outros temas que marcaram a semana, dando relevância à atuação do Hospital de São José no caso do feto que permaneceu 15 semanas no útero da mãe em morte cerebral. O comentador da SIC disse ainda, quanto à seleção nacional, que Portugal tem condições para fazer um bom campeonato da Europa. As eventuais sanções a Portugal, as comemorações do 10 de junho e o alertas do Presidente da república foram outros temas em destaque.

  • PSD exige explicações do Governo sobre CGD
    1:59

    Economia

    O PSD exige explicações urgentes do Governo sobre a Caixa Geral de Depósitos e admite avançar com uma comissão parlamentar de inquérito. Os sociais-democratas dizem que o silêncio do executivo sobre a recapitalização do banco público é ensurdecedor, numa altura em que Bruxelas pressiona para que saiam 2 mil trabalhadores do banco.

  • Injeção de dinheiro na CGD pode implicar a saída dois mil trabalhadores
    2:19

    Economia

    Há uma incerteza sobre a situação atual e o futuro da Caixa Geral de Depósitos, que pode conhecer uma vaga de despedimentos. Tal como a Comissão Europeia, a responsável pela supervisão dos bancos europeus sublinha que o Estado português pode injetar dinheiro na Caixa Geral de Depósitos, desde que se comporte como um investidor privado. Se houver injeção de dinheiro, Bruxelas deverá exigir a saída de dois mil trabalhadores. A oposição exige explicações urgentes do Governo sobre o banco público e admite mesmo pedir uma investigação do parlamento.

  • Governo diz que valor da injeção de capital na CGD ainda não está definido
    1:37

    Economia

    O secretário de Estado do Tesouro acaba de responder ao PSD que esta segunda-feira exigiu explicações ao Governo sobre a capitalização da Caixa Geral de Depósitos. Ricardo Mourinho Félix esclareceu que ainda não está definido qual será o valor da injeção de capital, mas disse que não terá impacto no défice porque será uma operação financeira no quadro de uma reestruturação do banco.

  • Marcelo espera consenso entre partidos para recapitalização da CGD
    0:30

    Economia

    Marcelo Rebelo de Sousa espera que todos os partidos estejam de acordo em manter a Caixa Geral de Depósitos como um banco público, português e forte. No entanto, o Presidente da República defende que os partidos que tiveram responsabilidade governativa na Caixa não se dividam quanto à forma de atingir esse objetivo.

  • Outros casos de fuga de prisões portuguesas
    2:58

    País

    Nos últimos cinco anos, 52 reclusos fugiram de cadeias portuguesas, mas foram todos recapturados. Entre 1999 e 2009, fugiram oito reclusos da prisão de Caxias. Em 2005, um homem condenado a 21 anos de prisão fugiu de Coimbra, viajando por França e pela Polónia. Manuel Simões acabou por ser detido no regresso a Portugal.

  • Portugal sem resposta de Moçambique sobre português desaparecido em Maputo
    1:25

    País

    Portugal tem tentado, sem sucesso, obter respostas das autoridades moçambicanas sobre o rapto de um empresário português há sete meses. De acordo com a notícia avançada este domingo pelo jornal Público, uma carta enviada há duas semanas pelo Presidente da República ao homólogo moçambicano não teve resposta. O Governo de Moçambique tem ignorado pedidos de informação das autoridades portuguesas.

  • Táxi capaz de sobrevoar filas de trânsito ainda este ano no Dubai

    Mundo

    É o sonho de muitos que passam horas intermináveis em filas de trânsito. Trata-se de um drone com capacidade para transportar pessoas. "Operações regulares" deste insólito aparelho terão início em julho, no Dubai. O anúncio foi feito pela entidade que gere os transportes da cidade. Apenas um passageiro, com o peso máximo de 100 kg, pode seguir viagem neste táxi revolucionário, capaz de sobrevoar vias congestionadas pelo trânsito.