sicnot

Perfil

Economia

Cristas diz que o investimento em Portugal "cai escandalosamente"

A líder do CDS-PP, Assunção Cristas, confrontou esta quarta-feira o primeiro-ministro, António Costa, com o investimento em Portugal que, exibindo um gráfico do Eurostat, afirmou tem vindo a cair "escandalosamente".

JO\303\203O RELVAS

"Este gráfico não é meu, é do Eurostat e mostra a comparação do comportamento do investimento nos vários países no primeiro trimestre de 2016, comparando com o primeiro trimestre de 2015. O que se vê é que Portugal é o país que apresenta o pior resultado, menos 2,5% de investimento quando quase todos os outros estão a crescer e alguns a crescer muito bem", afirmou Assunção Cristas exibindo o gráfico.

No debate quinzenal com o Governo, no parlamento, o primeiro-ministro salientou, na resposta, dados mais recentes do Instituto Nacional de Estatística (INE) da produção industrial a subir 6,4% em cadeia, "o segundo melhor desempenho de toda a Europa", crescimento no turismo, nas exportações (se deduzidos os combustíveis), a baixa do défice comercial, o aumento da confiança dos consumidores do indicador de clima económico.

Assunção Cristas insistiu: "Não consegue explicar com tantas boas notícias como cai o investimento, e cai tão escandalosamente", disse.

Já na reta final do debate quinzenal, quando só faltavam intervir "Os Verdes" e o PAN, a líder centrista começou por sublinhar que António Costa "continua sem responder sobre a Caixa Geral de Depósitos, se o montante [da recapitalização] é de 4 mil milhões de euros, se é outro, se vai ao défice, se vai à dívida, como é que isto vai impactar nas nossas contas".

"Nós naturalmente estaremos ao lado daqueles, como o PSD, que querem comissão de inquérito à Caixa Geral de Depósitos, seja ou não seja potestativa. Não nos interessa olhar para o passado apenas, interessa-nos olhar para o presente e para o que o senhor primeiro-ministro quer fazer da Caixa Geral de Depósitos", afirmou.

Lusa

  • Paula Brito e Costa continua a trabalhar na Raríssimas

    País

    Depois de ter apresentado a demissão do cargo de presidente da Raríssimas, Paula Brito e Costa mantém-se a exercer funções na associação, apurou a SIC. Identifica-se agora como diretora-geral e já comunicou isso mesmo a alguns funcionários.

  • As IPSS são estruturantes no país. Fazem o que Estado não faz porque não pode, não quer, ou não chega a tudo. Chama-se sociedade civil a funcionar. E o Estado subsidia, ajuda, (com)participa, apoia. Nada contra. A questão é quando as IPSS e outras instituições, fundações, associações, federações e quejandas se tornam verdadeiras "indústrias".

    Pedro Cruz

  • O ano "saboroso" de António Costa
    0:51

    País

    António Costa diz que 2017 foi um ano "saboroso" para Portugal. Num encontro com funcionários portugueses, em Bruxelas, antes do Conselho Europeu desta quinta-feira, o primeiro-ministro realçou o que o país conquistou no último ano, no plano europeu, e que culminou com a eleição de Mário Centeno para a Presidência do Eurogrupo.

  • Lince ibérico esteve à venda no OLX

    País

    Um anúncio de venda de um lince ibérico, por 1.500 euros, foi publicado esta semana no site de classificados OLX, com uma morada de Alcoutim, no Algarve. A autenticidade da publicação não foi confirmada, mas em setembro foi encontrada a coleira de um lince ibérico precisamente em Alcoutim. As autoridades estão a investigar.

    SIC

  • Estabilização dos solos nas áreas ardidas
    1:58

    País

    Está a começar uma intervenção de emergência para estabilizar os solos nas áreas ardidas nos incêndios florestais. O trabalho das equipas que estão no terreno arrancou na zona da Lousã mas vai passar por vários concelhos como Pampilhosa da Serra e Vila Real.