sicnot

Perfil

Economia

Portugal coloca 1.000 M€ em dívida a 3 e 11 meses a taxas mais altas

Portugal colocou hoje 1.000 milhões de euros em Bilhetes do Tesouro a três e 11 meses a taxas médias superiores às dos anteriores leilões comparáveis, tendo a do prazo mais curto passado de negativa para positiva.

© Jose Manuel Ribeiro / Reuters (Arquivo)

Segundo a página do IGCP - Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública na Bloomberg, no prazo de 11 meses foram colocados hoje 755 milhões de euros à taxa de juro média de 0,146%, superior à verificada no anterior leilão comparável de 22 de abril, de 0,037%.

A procura atingiu 1.213 milhões de euros, 1,61 vezes o montante colocado.

Em relação aos BT a três meses, o IGCP colocou 245 milhões de euros a uma taxa de juro média de 0,075%, também superior à de -0,004% verificada no anterior leilão desta maturidade em 22 de abril.

O total de propostas dos investidores para esta maturidade atingiu 639 milhões de euros, mais de 2,6 vezes o montante colocado.

O IGCP tinha anunciado para hoje a realização de dois leilões de Bilhetes do Tesouro para colocar entre 750 e mil milhões de euros.

Lusa

  • Autarca garante que não houve "touros de fogo"

    País

    O presidente da Câmara de Benavente disse esta segunda-feira à Lusa que a atividade "touros de fogo" foi retirada do programa da Festa da Amizade depois de recebido um parecer desfavorável da Direção-Geral de Veterinária.

  • Presidente do Brasil formalmente acusado de corrupção

    Mundo

    O Procurador-Geral da República do Brasil apresentou na noite de segunda-feira ao Supremo Tribunal Federal uma denúncia contra o Presidente Michel Temer e o ex-deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) pelo crime de corrupção passiva.

  • Reconquista de Mossul ao Daesh pode estar para breve
    1:27
  • Homem fala ao telefone com o filho que pensava estar morto

    Mundo

    Um norte-americano que tinha estado presente no funeral do filho recebeu, 11 dias depois, uma chamada telefónica de um homem que o pôs em contacto... com o filho que havia enterrado semana e meia antes. Tudo por causa de um erro do gabinete de medicina legal.