sicnot

Perfil

Economia

Portugal volta hoje aos mercados para angariar até 1.000 M€

Portugal realiza hoje dois leilões de Bilhetes do Tesouro, pretendendo angariar nos mercados financeiros internacionais entre 750 e mil milhões de euros, anunciou o IGCP - Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública.

(Lusa/ Arquivo)

Na passada sexta-feira, o IGCP anunciou que vão realizar-se esta manhã, pelas 10:30, "dois leilões das linhas de BT (Bilhetes do Tesouro) com maturidades em 23 de setembro de 2016 e 19 de maio de 2017, com um montante indicativo global entre 750 milhões de euros e 1000 milhões de euros".

Este leilão realiza-se quase uma semana depois de o IGCP ter colocado 600 milhões de euros em Obrigações de Tesouro (OT) a cinco anos à taxa de juro de 1,843% e 400 milhões de euros em OT a nove anos a 2,859%.

Portugal colocou, na semana passada 600 milhões de euros em Obrigações de Tesouro (OT) a cinco anos à taxa de juro de 1,843% e 400 milhões de euros em OT a nove anos a 2,859%.

Segundo a página da Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública (IGCP) na Bloomberg, a taxa de juro da emissão de OT a cinco anos variou ligeiramente em relação ao anterior leilão comparável, já que passou de 1,84% para 1,843%.

O total de propostas da emissão de OT a cinco anos atingiu 1.185 milhões de euros, 1,98 vezes o montante colocado.

No anterior leilão de OT a cinco anos, que ocorreu em 23 de março, o IGCP colocou 504 milhões de euros a uma taxa de juro de 1,84%.

Em relação ao prazo de nove anos, o anterior leilão ocorreu em 08 de outubro de 2014, tendo o IGCP colocado 1.000 milhões de euros a uma taxa de juro de 1,85%.

Contudo, em 11 de maio último, o IGCP colocou no mercado 1.150 milhões de euros em OT a dez anos a uma taxa de juro de 3,252%.

Lusa

  • Quando se pode circular pela esquerda? A GNR explica (e fiscaliza)
    5:46

    Edição da Manhã

    A regra aplica-se a autoestradas e outras vias com esse perfil mas dentro das localidades há exceções. A Guarda Nacional Republicana está a promover em todo o território nacional várias ações de sensibilização e fiscalização no sentido de prevenir e reprimir a circulação de veículos pela via do meio ou da esquerda quando não exista tráfego nas vias da direita. O major Paulo Gomes, da GNR, esteve na Edição da Manhã. 

  • O pedido de desculpas de Dijsselbloem
    2:12

    Mundo

    O Governo português continua a mostrar a indignação que diz sentir perante as declarações do presidente do Eurogrupo. O ministro dos Negócios Estrangeiros português garante que com Dijsselbloem "não há conversa possível". Jeroen Dijsselbloem começou por recusar pedir desculpa mas depois cedeu perante a onda de indignação.

  • A primeira vez do Sr. Árbitro
    12:41