sicnot

Perfil

Economia

Elisa Ferreira e Máximo dos Santos no Banco Portugal

O Conselho de Ministros anunciou hoje a nomeação de Elisa Ferreira e de Luís Máximo dos Santos como administradores do Banco de Portugal, após a saída de António Varela e João Amaral Tomaz.

Em abril, foi conhecido que a eurodeputada socialista Elisa Ferreira foi escolhida para assumir funções no Conselho de Administração do Banco de Portugal, juntando-se, assim, à equipa liderada pelo governador, Carlos Costa.

O processo de nomeação implicou a ida à Assembleia da República para responder às perguntas dos deputados, o que aconteceu a 17 de maio na Comissão de Orçamento e Finanças, tendo sido desde então aprovado o relatório dessa audição não vinculativa.

Nas conclusões, é considerado que a socialista "cumpre cabalmente os requisitos legais exigidos" para ser administradora do regulador e supervisor bancário.

Além de Elisa Ferreira, vai também integrar a administração do Banco de Portugal Luís Máximo dos Santos, atual presidente do 'banco mau' BES, que ficou com os ativos considerados 'tóxicos' do ex-Banco Espírito Santo (BES).

Também o relatório da audição de Máximo dos Santos, elaborado pela deputada socialista Hortense Martins, foi aprovado por unanimidade.

Quando esteve no parlamento, Elisa Ferreira considerou que assumir responsabilidades de supervisão atualmente é "capitanear um navio num mar bastante agitado", mas acrescentou que é um desafio em que porá a sua "experiência e energia ao serviço do país".

Já Máximo dos Santos disse que a sua ida para administrador é uma "enorme responsabilidade", considerando que o seu currículo profissional de mais de 30 anos o habilita para desempenhar a função.

Segundo o processo de seleção para o Conselho de Administração do Banco de Portugal, alterado o ano passado, cabe ao governador formalizar uma proposta ao Governo com os nomes dos vice-governadores e restantes administradores, que têm de passar por uma audição na Assembleia da República, que não é vinculativa e da qual são feitos relatórios descritivos.

Elisa Ferreira é professora da Faculdade de Economia da Universidade do Porto, foi ministra do Ambiente e do Planeamento entre 1995 e 2002 e é desde 2004 eurodeputada, onde tem trabalhado nos últimos anos na União Bancária e no mecanismo de resolução bancária.

Já Luís Máximo dos Santos é advogado, tendo trabalhado como jurista em várias funções do Estado, nomeadamente no Banco de Portugal. Além de estar de momento a liderar o 'banco mau' BES, é desde 2010 presidente da Comissão Liquidatária do Banco Privado Português (BPP).

  • O fim do julgamento do caso BPN, seis anos depois
    2:26

    País

    O antigo presidente do BPN José Oliveira Costa tentou adiar o fim do julgamento principal do caso com um recurso para o Tribunal Constitucional. Apesar disso, a leitura do acórdão continua marcada para esta quarta-feira, quase seis anos e meio depois de os 15 arguidos se terem sentado pela primeira vez no banco dos réus.

  • José Oliveira Costa, o rosto do buraco financeiro do BPN
    3:04

    País

    José Oliveira Costa foi o homem forte do BPN durante 10 anos e tornou-se o rosto do gigantesco buraco financeiro. Manteve-se em silêncio durante todo o julgamento, mas falou aos deputados da comissão de inquérito, para negar qualquer envolvimento no escândalo que fez ruir o BPN.

  • Saída do Procedimento por Défice Excessivo marca debate no Parlamento
    1:40
  • Filhos tentam anular casamento de pai de 101 anos

    País

    O casamento de um homem de 101 anos com uma mulher com metade da idade, em Bragança, está a ser contestado judicialmente pelos filhos do idoso, que acusam aquela que era empregada da família de querer ser herdeira.