sicnot

Perfil

Economia

Crescimento do crédito faz aumentar procura de casas em Portugal

A procura de casas em Portugal aumentou em abril deste ano, "ao ritmo mais elevado dos últimos sete meses", devido ao crescimento da concessão de crédito, segundo o mais recente inquérito 'Portuguese Housing Market Survey' (PHMS), hoje divulgado.

(Arquivo)

(Arquivo)

© Stephane Mahe / Reuters

Com base nas respostas de 150 inquiridos de empresas do setor imobiliário, a colocação de imóveis em oferta aumentou em abril deste ano, pelo quarto mês consecutivo, embora "a dinâmica da procura continue a superar a da oferta".

O aumento da procura de casas refletiu-se "positivamente" nas vendas realizadas, com o ritmo de crescimento a acelerar de forma sólida ao longo do mês de abril e em todas as regiões abrangidas pelo inquérito PHMS: Lisboa, Porto e Algarve.

Um dos principais impulsionadores deste aumento da procura de casas é "o crescimento da concessão de crédito à habitação", indicou o inquérito, explicando que a aceleração da atividade transacional vai permitir acentuar também o movimento de recuperação e de evolução dos preços.

Para os mediadores, promotores e proprietários, o preço das casas vai aumentar "em torno dos 3% nos próximos 12 meses", revelou o inquérito PHMS de abril.

Sobre o crescimento da procura de casas, o diretor da empresa de informação Confidencial Imobiliário, Ricardo Guimarães, disse que "os novos empréstimos atingiram 491 milhões de euros em março, mais do que duplicando no espaço de um ano", acrescentando que, ao mesmo tempo, os 'spreads' estão a baixar e os bancos estão a adotar uma postura comercial mais agressiva.

Já o economista do Royal Institution of Chartered Surveyors (RICS), Simon Rubinsohn, frisou que "a confiança dos consumidores continua próxima dos máximos pós-crise, apesar da aceleração da economia se manter modesta".

Em relação ao mercado de arrendamento, os empresários do setor imobiliário indicam que "a procura por potenciais arrendatários continuou a crescer em abril", sublinhando que nesse mês registou-se o ritmo mais rápido de crescimento verificado desde outubro de 2011.

De acordo com o inquérito, a procura no mercado de arrendamento não tem sido acompanhada pela oferta, explicando que existem "novas instruções pelos proprietários a seguir em sentido inverso".

"Fruto deste desencontro entre a oferta e a procura, os valores das rendas voltaram a aumentar pelo 11º mês consecutivo", concluiu o inquérito, referindo que os empresários do setor imobiliário preveem que estes valores continuem a crescer ao longo dos próximos três meses.

O PHMS é um inquérito mensal realizado em parceria entre a Confidencial Imobiliário e o RICS, para publicação de um Índice de Confiança e de Expectativas nas regiões metropolitanas de Lisboa, do Porto e do Algarve.

Lusa

  • Cientistas testam útero artificial em cordeiros prematuros

    Mundo

    Um grupo de cientistas desenvolveu um útero artificial - o Biobag - que se assemelha a uma bolsa de plástico e que ajuda no desenvolvimento de cordeiros prematuros. O método foi testado nestes animais mas os cientistas do Hospital Pediátrico de Filadélfia, nos Estados Unidos, garantem que poderá vir a ser utilizado também em bebés que nascem prematuros.

  • Trump cria linha de apoio a vítimas de "extraterrestres criminosos"

    Mundo

    Quando o Governo norte-americano usa o termo "extraterrestre criminoso", refere-se a alguém que não é cidadão dos Estados Unidos da América e que foi condenado por um crime. Quando a mesma expressão é usada pelos utilizadores do Twitter, o significado é completamente diferente. Os internautas pensam na série Ficheiros Secretos e em discos voadores. Por isso, o lançamento de uma linha telefónica, por parte da Casa Branca, para as vítimas de "extraterrestres criminosos" só podia dar em confusão.

  • Casados há 69 anos, morrem de mãos dadas com 40 minutos de diferença

    Mundo

    Isaac Vatkin, de 91 anos, morreu cerca de 40 minutos depois de Teresa, de 89 anos, no passado sábado no Highland Park Hospital, no estado norte-americano Ilinóis. "Não queríamos que fossem embora, mas não podíamos pedir que partíssem de melhor maneira", afirmou o neto William Vatkin. O casal morreu no hospital poucos dias depois de celebrarem 69 anos de casados.