sicnot

Perfil

Economia

Portugal entre os países europeus onde empresas registam maior atraso nos pagamentos

Portugal é um dos países europeus onde as empresas recebem com maior atraso, após a data de vencimento das faturas, com o Estado a liderar os atrasos nos pagamentos, revela um estudo hoje divulgado pela Intrum Justitia.

(Lusa/ Arquivo)

No relatório Europeu de Pagamentos 2016, a consultora sueca conclui que "os atrasos de pagamento continuam a causar graves problemas de liquidez para as empresas portuguesas" que aguardam, em média, 45 dias para receber o pagamento por parte dos seus clientes particulares, 68 dias dos clientes empresas e 76 dias do setor público.

O relatório, que se baseia num inquérito realizado junto de 9.440 empresas na Europa, entre as quais 460 empresas portuguesas, revela que 33% das empresas nacionais diz que poderiam contratar mais colaboradores se os seus clientes pagassem mais rápido, o que levaria ao aumento dos postos de trabalho.

Mais de metade das empresas portuguesas inquiridas (52%) afirma que os atrasos de pagamento têm um impacto "médio-alto para o crescimento do negócio", sendo que a principal causa dos atrasos de pagamento são as dificuldades financeiras (91%), seguida dos atrasos de pagamento intencionais (51%).

O estudo da Intrum Justitia revela ainda que 32% das empresas em Portugal prevê um aumento do risco de mora este ano, contra 25% em 2015, com 62% das empresas a considerar que "o risco vai manter-se estável".

O relatório destaca igualmente que 77% das pequenas e médias empresas (PME) portuguesas já aceitaram condições de pagamento mais dilatadas que o habitual e 19% afirmam que o pedido foi feito por uma grande empresa ou multinacional.

Quando questionadas acerca das medidas que tomam quando um cliente pede um prazo de pagamento mais dilatado, 56% das pequenas e médias empresas nacionais admitem propor planos de pagamento, havendo quem considere oferecer um desconto como alternativa (10%).

No entender do Diretor-geral da Intrum Justitia, Luís Salvaterra, "a resolução do problema dos atrasos nos pagamentos seria uma oportunidade para milhões de europeus no que respeita à criação de postos de trabalho".

Mas "ao invés disso, estamos perante um cenário onde as grandes empresas estão a forçar as PME a dilatar os prazos, empresas estas mais dependentes de pagamentos rápidos, menos protegidas contra os maus pagadores e menos propensas para aumentar os investimentos, em comparação com as empresas de maior dimensão".

Luís Salvaterra reforçou ainda que "uma grande parte destas pequenas e médias empresas não usam garantias bancárias nem seguro de crédito ou outro qualquer mecanismo para se protegerem destas situações, ao contrário das grandes empresas", o que agrava "a discrepância e ilustra a vulnerabilidade das PME nacionais".

O estudo revela, por fim, que Portugal, juntamente com a Itália, Espanha e a Grécia são os países onde as condições de pagamento são mais dilatadas entre as empresas e que Portugal, Itália e a Croácia são os três países onde as empresas recebem com maior atraso após a data de vencimento das faturas.

Lusa

  • A corrida ao iPhone 8 no Japão, China e Austrália
    2:04
  • Milhares protestam na Catalunha contra Madrid
    1:45

    Mundo

    O Governo de Madrid mostrou-se disposto a dar mais dinheiro e autonomia financeira à Catalunha, se o Governo Regional suspender o referendo independentista. A 10 dias da consulta popular, a tensão é explosiva, com protestos nas ruas, detenções e confrontos com as autoridades.

  • O que separa a Catalunha do resto de Espanha?
    2:12

    Mundo

    Desde 1640, as revoltas catalãs representam a vontade pela distância e pela independência. Numa região que não é reconhecida formalmente como Nação, na Catalunha entende-se e fala-se mais castelhano do que catalão. Mas o que realmente separa a Catalunha do resto de Espanha?

  • Marcelo Rebelo de Sousa avisou que depois das autárquicas viria um novo ciclo. A lógica levou-nos a assumir que estava a falar do PSD, mas hoje, olhando para a situação política, devemos também incluir nessa previsão a “geringonça” e os seus equilíbrios. Não acredito que as coisas mudem até às legislativas, mas as contas só se fazem depois dos votos das autárquicas. Até lá, o tom de voz das esquerdas vai engrossar.

    Bernardo Ferrão

  • Complexo Agroindustrial do Cachão abandonado e exposto à poluição
    2:03
  • Família Portugal Ramos
    15:01

    As Famílias Vintage regressaram esta quinta-feira, com uma viagem ao Alentejo. Foi a partir desta região que João Portugal Ramos conquistou um lugar entre os grandes do setor. Desde há 25 anos a vindimar em seu nome, o enólogo produz seis milhões de litros de vinho por ano.

  • Se pedir ao seu cão para ir buscar uma garrafa de vinho ele vai?
    0:49

    País

    Há 25 anos a vindimar no Alentejo, o enólogo João Portugal Ramos produz seis milhões de litros de vinho por ano. Em Estremoz comprou casa e terra. Iniciou a plantação de vinhas próprias e a construção de uma adega. Um espaço que conhece como as palmas da mão. Ele e um amigo muito especial.

  • Presidente das Filipinas pede que matem o filho se estiver envolvido nas drogas

    Mundo

    O Presidente das Filipinas pediu que matassem o seu filho se as acusações de que traficava droga fossem provadas. Rodrigo Duterte destacou ainda que, caso fosse verdade, iria proteger as autoridades que executassem Paolo Duterte. Em causa está a acusação de que o filho do Presidente filipino faria parte da máfia chinesa, que contrabandeia drogas, vindas da China para dentro do país.

    SIC

  • Morreu a mulher mais rica do mundo

    Mundo

    Liliane Bettencourt, herdeira do grupo de cosméticos L'Oréal e a mulher mais rica do mundo, segundo a revista Forbes, morreu na quarta-feira à noite aos 94 anos, anunciou a família.

  • Espanhola tenta provar há sete anos que está viva

    Mundo

    Uma mulher de 53 anos está há sete anos a tentar provar que está viva. Segundo o Estado espanhol, Juana Escudero Lezcano morreu a 13 de maio de 2010, mas na realidade quem morreu foi uma mulher com o mesmo nome e data de nascimento.

    SIC