sicnot

Perfil

Economia

Criação de empresas do setor têxtil aumentou na última década

As exportações contribuíram para um aumento de 7% do volume de negócios do setor têxtil em 2014, ano em que o número de empresas criadas foi também superior ao das que cessaram atividade, segundo o Banco de Portugal.

A análise setorial da indústria dos têxteis e vestuário realizada pelo Banco de Portugal (BdP) para o período 2010-2015 e hoje divulgada indica que o número de empresas em atividade cresceu 1,9% em 2014 (mais 0,4 pontos percentuais do que o total das empresas), em contraste com a redução verificada em 2010 (6%).

Em 2014 foram criadas neste setor 1,35 empresas novas por cada uma que cessou atividade.

A indústria dos têxteis e vestuário integrava, nesse ano, 6,5 mil empresas (aproximadamente 2% das empresas em Portugal), representando cerca de 5% do número de pessoas ao serviço e 2% do volume de negócios.

Cerca de 60% destas empresas eram microempresas e 39% pequenas e médias empresas (PME).

A faturação desta indústria cresceu 7% em 2014 (9% no "vestuário" e 5% nos "têxteis") e tem sido impulsionada pelo mercado externo.

Em 2014, as vendas ao exterior contribuíram com quatro pontos percentuais para o crescimento do volume de negócios e representavam 59% do total.

Nesse ano, o setor exportador compreendia 19% do número de empresas, 56% do número de pessoas ao serviço e 77% do volume de negócios das empresas de têxteis e vestuário.

Lusa

  • Principais factos da acusação no caso BPN dados como provados

    País

    O coletivo de juízes responsável pelo julgamento do processo principal do caso BPN, liderado por Luis Ribeiro, deu início à leitura do acórdão pelas 10:30, com quatro arguidos ausentes do tribunal, entre os quais Oliveira Costa. Os principais factos da acusação são dados como provados, mas a leitura deverá demorar algumas horas

  • Autódromo do Estoril está ilegal há 45 anos

    Desporto

    De acordo com o Público este equipamento desportivo, inaugurado na década de 70, não tem licença de construção nem de utilização. Uma notícia que apanhou de surpresa o executivo camarário de Cascais, liderado por Carlos Carreiras.

  • Seca na Bacia do Sado exige restrições ao uso da água no Alentejo

    País

    A Agência Portuguesa do Ambiente aprovou hoje um conjunto de medidas para gestão dos recursos hídricos, definindo medidas específicas para a bacia hidrográfica do Sado, a única que se encontra em situação de seca. Além da diminuição de regas em hortas e jardins, a APA recomenda o encerramento das fontes decorativas, a proibição de encher piscinas e de lavagem de automóveis.