sicnot

Perfil

Economia

Bilionário egípcio diz estar preparado para investir na operadora Oi

O bilionário egípcio Naguib Sawiris disse hoje estar preparado para investir na operadora de telecomunicações brasileira Oi, que na última segunda-feira pediu proteção contra falência para negociar dívidas de 19 mil milhões de dólares.

© Amr Dalsh / Reuters

A informação foi dada por Sawiris numa entrevista à Bloomberg.

O bilionário, que detém uma participação maioritária na Orascom Telecom Media, do Egito, disse que a Oi tem um grande potencial se sua dívida for reestruturada e se conseguir um forte aumento de capital.

"A Oi precisa de um acionista com um sólido conhecimento em telecomunicações para resolver os seus problemas operacionais e financeiros", disse Sawiris.

O empresário egípcio não é o único bilionário estrangeiro que demonstrou interesse na Oi. Em fevereiro, o russo Mikhail Fridman fez uma proposta para ajudar a financiar uma fusão entre a Oi e a unidade brasileira da Telecom Italia, a Tim Participações SA.

Sobre uma possível fusão entre Oi e a Tim, Sawiris afirmou à Bloomberg que a operação faria "muito sentido", mas que primeiro a Oi precisa de andar com as suas próprias pernas.

O empresário egípcio referiu que iria "acolher" um acordo com Fridman, um antigo parceiro de negócios, mas não especificou como seria este investimento.

A Oi pediu proteção contra falência na segunda-feira depois de não conseguir chegar a um acordo com seus credores na sequência de uma série de fusões e mudanças de gestão.

Segundo a companhia, o total dos créditos com pessoas não controlados pela Oi, listados nos documentos protocolados com o pedido de recuperação judicial, somava aproximadamente 65,4 mil milhões de reais (17 mil milhões de euros).

Hoje, a Oi anunciou que convocou para dia 22 de julho uma assembleia-geral extraordinária para ratificar o pedido de recuperação judicial.

A Pharol, antiga PT SGPS, detém 27,5% da operadora da Oi e ficou com a dívida da Rioforte, 'holding' do grupo Espírito Santo, que deixou um 'buraco' de 847 milhões de euros na PT Portugal, operadora que foi comprada em 2015 pelo grupo francês Altice, que deixou de fora da aquisição aquela dívida.

Lusa

  • CMVM suspende ações da Pharol depois de pedido de recuperação judicial da Oi
    2:58

    Economia

    A Oi, a gigante brasileira das telecomunicações, está a um passo da falência e entrou com um pedido de recuperação judicial. A decisão foi anunciada ontem à noite e levou a CMVM a suspender, hoje durante todo o dia, as ações da Pharol - que é acionista da Oi. O regulador impediu também que fossem negociadas obrigações da PT que venciam já no próximo mês e que podem não ser pagas dentro do prazo. Em causa mais de 200 milhões de euros de clientes do retalho.

  • Reembolso das obrigações da PT não deverá ser feito dentro do prazo
    1:14

    Economia

    O reembolso das obrigações da PT não deverá ser feito no prazo devido já que a Oi poderá falhar o pagamento que deveria ser feito a 26 de julho. À SIC, o advogado Luís Miguel Henrique, que esteve ligado a outros casos como o do BPP e BES, alerta para que este seja o cenário mais provável e deixa conselhos a quem comprou estas obrigações.

  • Negociação na bolsa das ações da Pharol suspensa
    2:14

    Economia

    A decisão foi tomada pela CMVM esta manhã e estende-se também a uma linha de obrigações da PT que arrisca não ser reembolsada dentro do prazo, que termina já no próximo mês.O regulador dos mercados só vai levantar a suspensão depois de serem divulgados mais dados sobre o pedido de recuperação judicial da OI, a empresa brasileira onde a Pharol é acionista e que pediu ontem à noite proteção dos credores.

  • "PCP não é força de suporte do Governo"
    2:11

    País

    Ao segundo dia de congresso comunista, ouviu-se o aviso mais forte, até agora, ao PS. João Oliveira, líder parlamentar do partido, diz que o PCP não se diluiu e que não é suporte do Governo. Já Jerónimo de Sousa deixou elogios à excelente geração de jovens que estão na frente política do PCP.

  • Passos elogia escolha de Paulo Macedo mas diz que não é suficiente
    1:47

    Caso CGD

    Pedro Passos Coelho diz que Paulo Macedo é competente para liderar os destinos da Caixa Geral de Depósitos, mas que a nomeação do antigo ministro não é suficiente para passar uma esponja sobre o assunto. Em Viseu, o líder do PSD não quis ainda avançar com um nome para a Câmara de Lisboa, depois de Santana Lopes afastar a hipótese de se candidatar.

  • O novo coala do zoo de Lisboa
    3:10

    País

    A SIC acompanhou em exclusivo a transferência de uma coala da Alemanha para o Zoo de Lisboa. O animal veio de avião e foi batizado pelos passageiros que seguiam a bordo. Ficou com o nome de Goolara. O coala é uma fêmea, com quase dois anos, e veio para aumentar a família da mesma espécie em Portugal.

  • Jovens do exército russo aderem ao Desafio do Manequim
    1:01

    Mundo

    Na Rússia, o grupo de jovens do exército também já aderiu ao famoso Mannequin Challenge. O vídeo foi divulgado pelo Ministério da Defesa russo. O objetivo é mostrar o dia-a-dia do chamado exército de jovens, cuja principal missão passa por sensibilizar os russos para a necessidade de cumprir o serviço militar obrigatório.