sicnot

Perfil

Economia

Lisboa sobe 11 posições na lista das cidades mais caras do mundo

Lisboa subiu 11 posições no 'ranking' das cidades mais caras do mundo, para o 134.º lugar, numa lista encabeçada por Hong Kong e Luanda, de acordo com o indicador da consultora Mercer, hoje divulgado.

© Rafael Marchante / Reuters

De acordo com o 22.º Estudo Global sobre o Custo de Vida de 2016 da Mercer, Lisboa, que estava na 145.ª posição em 2015, permanece "ainda assim como uma das cidades menos dispendiosas para expatriados a nível global".

"A explicação [para a subida] prende-se essencialmente com o aumento do custo de alguns itens que pesam na ponderação como os valores das rendas, que com o aumento da procura, associado ao turismo, acabaram também por aumentar a nível nacional", realçou a consultora.

Como exemplo das diferenças entre as 209 cidades analisadas, aponta-se que "o arrendamento de um apartamento T2 pode custar em Lisboa 1.500 euros e em Hong Kong mais de 6.000 euros".

O 'ranking' mede o custo comparativo de mais de 200 itens em cada local, incluindo habitação, transportes, comida, roupa, bens de uso doméstico e entretenimento, e é realizado anualmente para ajudar multinacionais, organizações e governos a determinarem estratégias de compensação para os seus colaboradores expatriados.

Na lista deste ano, Hong Kong surge como a cidade mais cara do mundo, seguida de Luanda (2.º), de Zurique (3.º) - que é também a cidade europeia mais cara -, de Singapura (4.º) e de Tóquio (5.º).

O 'top 10' das cidades mais caras completa-se com Kinshasa (6.º), Xangai (7.º), Genebra (8.º), N'Djamena (9.º) e Pequim (10.º).

No extremo oposto, as cidades mais baratas para expatriados são Windhoek (em 209.º), Cidade do Cabo (208.º) e Bishkek (207.º).

Na Europa, Paris subiu dois lugares, para 44.º, Londres desceu cinco, para 17.º, Berlim subiu seis, para 100.º, e a cidade do Luxemburgo subiu 10 lugares, para 86.º.

As cidades dos Estados Unidos da América subiram este ano no 'ranking' de cidades mais caras, "devido à valorização do dólar americano", sublinhou a consultora.

Nova Iorque subiu cinco lugares e é a 11.ª cidade mais cara do mundo, Washington subiu 12 (e é a 38.ª) e Boston 17 lugares, do 64.º lugar em 2015 para 47.º este ano.

Nas cidades brasileiras de referência no estudo, o custo de vida desceu, nomeadamente em Brasília (que desceu 40 lugares, para 190.º), Rio de Janeiro (desceu 89 lugares, para 156.º) e São Paulo (desceu 88 lugares, de 40.º para 128.º).

Luanda era a cidade mais cara no ano passado e ficou este ano no segundo posto, sobretudo devido ao enfraquecimento da moeda local, e Maputo desceu de 95.º em 2015 para 164.º em 2016.

Telavive (19.º) continua a ser a cidade mais cara para expatriados no Médio Oriente, seguida do Dubai (21.º), Abu Dhabi (25.º) e Beirute (50.º).

Na América do Sul, Buenos Aires (41.º) é a cidade mais cara, embora a maioria das outras cidades deste subcontinente tenha descido no 'ranking' devido ao enfraquecimento das moedas locais face ao dólar americano.

Lusa

  • Negócios do Fogo
    22:00
  • Direção da Raríssimas na Madeira demitiu-se em setembro
    1:58

    País

    Três representantes da Raríssimas na ilha da Madeira demitiram-se, em setembro, de costas voltas para a direção. A delegação da instituição na ilha começou em 2015 e fechou com as três demissões. Em entrevista à SIC, uma das antigas delegadas afirmou que todos os fundos angariados foram para a sede, em Lisboa, ficando depois sem dinheiro para pagar as despesas.

  • Deputado do PSD recusa vice-presidência da Raríssimas
    1:58

    País

    Nas reações políticas ao caso da Raríssimas, o PSD e CDS dizem que é preciso acionar todos os mecanismos legais apropriados para averiguar a situação. O deputado social-democrata, Ricardo Baptista Leite, que tinha sido convidado recentemente para vice-presidente da instituição, diz que já não há condições para tomar posse.

  • Turistas aproveitam nevão na Serra da Estrela
    1:23
  • Fortes nevões no norte da Europa
    0:59
  • Dezenas de feridos em protestos contra decisão de Trump em Israel
    1:55
  • A brincadeira de um youtuber que podia ter acabado mal

    Mundo

    Um jovem youtuber inglês enfiou a cabeça num saco de plástico, prendeu-a na parte interna de um microondas e encheu depois o eletrodoméstico com cimento. A brincadeira, que podia ter acabado de forma trágica, deixou o jovem completamente preso e obrigou à intervenção dos serviços de emergência.

    SIC

  • "Popeye" russo pode ter que amputar braços

    Mundo

    Um jovem russo injetou um óleo no corpo para conseguir ter músculos, mais propriamente nos seus braços, que já cresceram cerca de 25 centímetros. Contudo, segundo um médico, o procedimento pode levar à necessidade de amputação, deixando o jovem sem os membros.