sicnot

Perfil

Economia

CMVM levanta suspensão da negociação das ações da Pharol

A Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) anunciou hoje, em comunicado, o levantamento da suspensão da negociação das ações da Pharol, SGPS, S.A..

(SIC/ Arquivo)

No comunicado divulgado hoje na sua página na Internet, a CMVM adianta ter deliberado o levantamento da suspensão da negociação das ações da Pharol, SGPS, S.A., "por terem cessado os motivos que justificaram a suspensão".

As ações da Pharol terminaram na segunda-feira a 0,128 euros, a baixarem 4,47% face à sessão anterior, depois de terem caído até ao mínimo de 0,122 euros em 24 de maio.

A empresa de telecomunicações brasileira Oi entrou segunda-feira com um pedido de recuperação judicial na comarca da capital do Estado do Rio de Janeiro para tentar manter a continuidade do negócio, segundo um comunicado emitido por aquela entidade.

Segundo o mesmo comunicado, o "pedido de recuperação foi ajuizado em razão dos obstáculos enfrentados pela administração da empresa para encontrar uma alternativa viável junto aos seus credores".

"O total dos créditos com pessoas não controlados pela Oi listados nos documentos protocolados com o pedido de recuperação judicial soma, nesta data, aproximadamente 65,4 mil milhões de reais (17 mil milhões de euros)", salienta Oi.

A empresa refere também que o pedido de recuperação judicial é, neste momento, o mais "adequado" para preservar a continuidade da oferta dos serviços aos clientes, preservar o valor da Oi, manter a continuidade do negócio e da sua função social.

A Oi vendeu em 2015 a PT Portugal à empresa francesa Altice.

A Pharol, antiga PT SGPS, detém cerca de 27% da operadora de telecomunicações brasileira Oi.

Lusa

  • CMVM suspende ações da Pharol depois de pedido de recuperação judicial da Oi
    2:58

    Economia

    A Oi, a gigante brasileira das telecomunicações, está a um passo da falência e entrou com um pedido de recuperação judicial. A decisão foi anunciada ontem à noite e levou a CMVM a suspender, hoje durante todo o dia, as ações da Pharol - que é acionista da Oi. O regulador impediu também que fossem negociadas obrigações da PT que venciam já no próximo mês e que podem não ser pagas dentro do prazo. Em causa mais de 200 milhões de euros de clientes do retalho.

  • Famílias das vítimas de Pedrógão criam associação para apurar responsabilidades
    2:13
  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.

  • 700 milhões para armamento e equipamento militar
    1:16

    País

    Portugal vai investir nos próximos anos 700 milhões de euros em armas e equipamento militar. Segundo a imprensa de hoje, o objetivo é colocar algumas áreas das Forças Armadas a um nível similar ao dos outros aliados da NATO. É o maior volume de programas de aquisição dos últimos anos e parte das verbas vão beneficiar a indústria portuguesa que fabrica aviões, navios-patrulha, rádios e sistemas de comando e controlo.

  • Princesa Diana morreu há 20 anos. Filhos falam pela 1ª vez da intimidade
    1:15