sicnot

Perfil

Economia

Credores da Oi impedidos de iniciar ações nos Estados Unidos

A Oi, operadora de telecomunicação que pediu recuperação judicial na segunda-feira, informou hoje que os credores estão impedidos de iniciarem ações e rescisões contra a companhia nos Estados Unidos.

© Nacho Doce / Reuters

Em comunicado, a Oi informa que o Tribunal Federal de Falências no Distrito Sul de Nova Iorque deferiu o pedido de tutela provisória, requerida pela Oi, Telemar Norte Leste, Oi Brasil Holdings Cooperatief UA e Oi Móvel.

"A Decisão da Tutela previne os credores de iniciarem ações contra os devedores ou seus bens localizados dentro da jurisdição territorial dos Estados Unidos e impede a rescisão de contratos existentes regidos pelas leis dos Estados Unidos dos quais os devedores sejam parte", lê-se no comunicado.

Essa tutela provisória, acrescenta, "será mantida até que os devedores obtenham reconhecimento integral da corte americana de seus pedidos".

A audiência para avaliar os pedidos dos devedores foi agendada para 21 de julho.

Na quarta-feira, um juiz da 7.ª vara empresarial do Rio de Janeiro suspendeu por 180 dias ações e execuções contra a empresa brasileira de telecomunicações Oi, dois dias depois de a operadora ter entrado com um pedido de recuperação judicial e solicitado autorização judicial para adiar o pagamento de parte da sua dívida que está para vencer.

O juiz Fernando Cesar Ferreira Viana definiu o prazo de 180 dias para evitar que novas ações judiciais sejam realizadas entre o pedido de recuperação judicial e uma eventual aceitação do mesmo.

A Oi pediu proteção contra falência depois de não conseguir chegar a um acordo com os seus credores, na sequência de uma série de fusões e mudanças de gestão.

A Pharol, antiga PT SGPS, detém 27,5% da operadora da Oi e ficou com a dívida da Rioforte, holding do grupo Espírito Santo, que deixou um buraco de 847 milhões de euros na PT Portugal, operadora que foi comprada em 2015 pelo grupo francês Altice, que deixou de fora da aquisição aquela dívida.


Lusa

  • DJ Avicii morre aos 28 anos

    Cultura

    Tim Bergling, conhecido por Avicii e um dos mais famosos DJ's do mundo, morreu aos 28 anos. A notícia foi avançada pelo site TMZ, que adianta que o DJ e produtor sueco foi encontrado morto esta sexta-feira em Muscat, em Omã, e os detalhes da morte ainda não são conhecidos.

    SIC

  • Avicii tinha deixado os palcos há 2 anos por motivos de saúde
    2:14
  • "Não andámos a tomar calmantes, nem a dar abracinhos"
    0:52

    Desporto

    Rui Vitória recusa atirar a toalha ao chão. O treinador do Benfica acredita que ainda muito pode acontecer e revela a motivação da equipa depois da derrota com o FC Porto na Luz, que levou à perda da liderança a quatro jornadas do fim.

  • "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos"

    Mundo

    "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos", esta foi apenas uma das declarações de Karl Lagerfeld sobre as denúncias de abuso sexual, que estão a marcar o mundo do cinema, da música e da moda. Numa entrevista, o diretor criativo da Chanel e da Fendi declarou mesmo que estava farto do #MeToo, o movimento usado para denunciar estes casos de abusos por todo o mundo.

    SIC

  • Viagem de balão para ver as cerejeiras em flor
    14:27
  • Portugal compromete-se a enviar profissionais de saúde para África
    2:39
  • EUA acusam Síria de tentar apagar provas de alegado ataque químico em Douma
    1:28
  • Já pode escolher uma morte amiga do ambiente

    Mundo

    Preocupa-se com o ambiente? Recicla? Prefere andar a pé ou partilhar transportes? Então saiba que a partir de agora a morte também pode ser amiga do ambiente. Desde caixões degradáveis de vime a cremação líquida, já é possível diminuir o impacto ambiental da morte.

    SIC

  • Karlie Kloss, o "anjo" que quer ensinar raparigas a programar
    2:59