sicnot

Perfil

Economia

Há mais 3 milhões de empregados na UE do que há um ano

A Comissão Europeia destacou hoje o crescimento homólogo de 1,4% do emprego na União Europeia (UE) e zona euro no primeiro trimestre do ano, que representa mais 3 milhões de pessoas empregadas entre os 28 do que um ano antes.

Na análise trimestral de verão sobre emprego e a situação social da Comissão Europeia, Bruxelas destaca ainda a descida homóloga da taxa de desemprego de longa duração 0,6 pontos percentuais no último trimestre de 2015, representando agora 4,3% da força laboral da UE (5,4% da zona euro).

"Trata-se da maior diminuição desde o primeiro declínio do desemprego de longa duração observado em 2014", refere a Comissão Europeia, numa nota que acompanha o documento.

De acordo com Bruxelas, a análise trimestral mostra também uma melhoria dos Estados-membros relativamente ao desemprego jovem, que desceu de forma mais acentuada nos países mais afetados pela crise.

A nível do desemprego jovem, em abril de 2016, os dados indicavam a taxa de 18,8% na UE (19% em março) e 21,1% na zona euro (21,3% em março).

Relativamente à produtividade, à exceção da Irlanda, na maioria dos Estados-membros da zona euro o crescimento da produtividade permaneceu abaixo dos 0,5%, Portugal incluído.

O número médio de horas semanais ao serviço também decresceu nos Estados-membros no primeiro trimestre de 2016, relativamente ao mesmo trimestre de 2015, destaca a Comissão Europeia.

Entre os dados disponíveis, a Grécia (com 42,3 horas semanais) e o Reino Unido (com 41,2 horas) são os países onde os trabalhadores a tempo inteiro trabalham mais horas semanais e com Portugal a surgir com uma média de 41 horas semanais.

Ao nível do trabalho a tempo parcial, a Suécia e França (com 23,1 e 22,3 horas semanais) foram os países onde se encontraram os valores mais elevados de horas de trabalho, contra países como Portugal (com 16,5 horas semanais), Finlândia (18,3) e Espanha (18,4), onde se encontram os mais baixos.


Lusa

  • Mais de 50 concelhos do país em risco máximo de incêndio

    País

    Mais de meia centena de concelhos de dez distritos do país estão hoje em risco 'máximo' de incêndio, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA). De acordo com o IPMA, estão sob este aviso 51 concelhos dos distritos de Castelo Branco, Faro, Portalegre, Santarém, Coimbra, Leiria, Guarda, Vila Real, Viseu e Bragança.

  • "Ao contrário do que diz a direita, o futuro dos jovens é aqui"
    0:52

    Economia

    António Costa atacou esta sexta-feira à noite a direita com o aumento do emprego jovem. Perante vários jovens no acampamento nacional da Juventude Socialista, o secretário-geral do PS dirigiu-se ainda aos partidos de direita para garantir que o aumento do salário mínimo está a criar mais emprego com maior qualidade.

  • Uma viagem aérea por Pegões
    1:00
    Visão de Portugal

    Visão de Portugal

    DIARIAMENTE NO JORNAL DA NOITE

    O espaço Visão de Portugal, do Jornal da Noite da SIC, mostra o país através de imagens aéreas. A rubrica leva-nos esta sexta-feira a sobrevoar Pegões, no concelho de Tomar. 

  • Porto eleito pela terceira vez o melhor destino europeu 
    2:53

    País

    O Porto foi eleito o melhor destino europeu pela terceira vez e as distinções internacionais não param de chegar. Desta vez os elogios chegam através da norte-americana CNN. Os preços acessíveis, a gastronomia, a história e a arquitetura são os pontos da cidade que tem a rua com maior tráfego do país. 

  • Lisboa é o terceiro melhor destino de cruzeiros
    1:22

    País

    O Turismo em Lisboa tem registado um crescimento. A cultura, a arte e os preços baixos são os pontos fortes apontados pelos turistas. A capital é já considerada o terceiro melhor destino de cruzeiros. O novo terminal do porto de Lisboa e a ligação direta a Pequim deverão aumentar ainda mais o número de visitantes.

  • Ir ao Minho e a Sintra
    22:50
  • Líder da Palestina hospitalizado

    Mundo

    O Presidente palestiniano, Mahmud Abbas, de 82 anos, foi hospitalizado este sábado em Ramallah, na Cisjordânia, para se submeter a um "exame de rotina" durante algumas horas, anunciou um porta-voz.