sicnot

Perfil

Economia

Investimentos da Oi programados para 2016 serão mantidos

O diretor de retalho da Oi, Bernardo Winik, assegurou hoje que todos os investimentos programados para 2016 na operadora brasileira "serão mantidos", apesar do pedido de recuperação judicial apresentado pela empresa.

(Reuters/Arquivo)

"Independentemente do que tenha acontecido na semana passada, os investimentos estão mantidos. Nada mudou", disse Bernardo Winik, esclarecendo que a manutenção se refere a investimentos de toda a empresa.

A Oi apresentou, a 20 de junho, um pedido de recuperação judicial, que inclui um total de 65,4 mil milhões de reais (17 mil milhões de euros) de dívidas, para evitar a falência.

O mesmo responsável, citado pelo portal de Internet G1, deu conta de que os investimentos da operadora estão a crescer, registando uma alta de 22% no primeiro trimestre do ano.

O executivo ressaltou que "2015 foi um ano de arrumação de casa, com redução de custos", acrescentando: "Direcionámos investimentos para ações de maior retorno, realinhámos preços que estavam fora do mercado".

Segundo Bernardo Winik, as vendas da empresa não diminuíram desde que o pedido de recuperação judicial foi apresentado.

Entretanto, o presidente da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), João Rezende, disse hoje aos jornalistas que o regulador será parte no processo de recuperação judicial, caso a Justiça brasileira aprove o pedido, e irá "acompanhar todas as negociações referentes a isso".

João Rezende adiantou que a agência está a tomar medidas sobre o caso, que ainda não podem ser reveladas.

"Estamos trabalhando para fazer com que o usuário tenha garantida a continuidade do trabalho da Oi, principalmente no campo operacional. Para que não haja nenhum risco sistémico do setor de telecomunicações, nós temos todo o interesse de garantir a continuidade do serviço", referiu.

A empresa é a maior operadora de telefone fixo do Brasil e a quarta em rede móvel, com cerca de 70 milhões de clientes.

A Oi vendeu em 2015 a PT Portugal à empresa francesa Altice.

A Pharol, antiga PT SGPS, detém cerca de 27% da operadora de telecomunicações brasileira Oi.

Lusa

  • "Quem faz isto sabe estudar os dias e o vento para arder o máximo possível"
    4:15
  • O balanço trágico dos incêndios do fim de semana
    0:51

    País

    Mais de 500 mil hectares de área ardida, 42 vítimas mortais, 71 de feridos, dezenas de casas e empresas destruídas. É este o balanço de mais um fim de semana trágico para Portugal a nível de incêndios florestais.

  • 2017: o ano em que mais território português ardeu
    1:41

    País

    Desde janeiro, houve mais área ardida do que em qualquer outro ano na história registada de incêndios florestais. Segundo dados provisórios do Sistema Europeu de Informação sobre Fogos Florestais, mais de 519 mil hectares foram consumidos pelas chamas até 17 de outubro, o que representa quase 6% de toda a área de Portugal. 

  • "Viverei com o peso na consciência até ao último dia"
    3:00
  • O que resta de Tondela depois dos incêndios
    1:07

    País

    O concelho de Tondela é agora um mar de cinzas, imagens recolhidas pela SIC com um drone mostram bem a dimensão do que foi destruído pelos incêndios. Perto 100 habitações principais ou secundárias, barracões, oficinas e stands arderam. 

  • Moradores reuniram esforços para salvar idosos das chamas em Pardieiros
    2:50

    País

    O incêndio de domingo em Nelas fez uma vítima mortal: um homem de 50 anos, de Caldas da Felgueira, que regressava de uma aldeia vizinha, onde tinha ido ajudar a combater as chamas. Em Pardieiros, no concelho de Carregal do Sal, várias casas arderam e uma jovem sofreu queimaduras ao fugir do incêndio. Durante o incêndio, pessoas reuniram esforços para salvar a povoação.

  • Cinco unidades fabris em Tondela destruídas pelas chamas
    3:06

    País

    As contas finais dos prejuízos na zona industrial de Tondela ainda não são definitivas, mas há cinco unidades fabris que foram atingidas pelas chamas. O aterro sanitário do Planalto Beirão foi também atingido pelo fogo que atravessou Tondela, onde ardeu o equivalente a 20 anos de resíduos orgânicos.

  • A fotografia que está a correr (e a impressionar) o Mundo

    Mundo

    A fotografia de uma cadela a carregar, na boca, o cadáver calcinado da cria está a comover o mundo. Entre as várias as fotografias que mostram o cenário causado pelos incêndios que devastaram a Galiza nos últimos dias, esta está a causar especial impacto por mostrar, de forma crua, as consequências das chamas. A foto é do fotógrafo Salvador Sas, da agência EFE. A imagem pode impressionar os mais sensíveis.

  • As lágrimas do primeiro-ministro do Canadá

    Mundo

    O primeiro-ministro da Canadá, Justin Trudeau, emocionou-se esta quarta-feira ao falar de um artista que morreu depois de perder uma luta contra o cancro. Gord Downie, vocalista da banda de rock canadiana "The Tragically Hip", faleceu esta terça-feira, aos 53 anos, vítima de um tumor cerebral.