sicnot

Perfil

Economia

Toyota Caetano Portugal chama à revisão 950 viaturas

A Toyota Caetano Portugal anunciou hoje a chamada à revisão de 950 viaturas em Portugal, modelos Prius, Prius Plug-in de terceira geração e Lexus, devido a um problema detetado nos 'airbags' de cortina.

© Yuya Shino / Reuters

De acordo com o fabricante automóvel japonês Toyota Motor, vão ser chamados à revisão 1,43 milhões de veículos em todo o mundo devido a novos problemas detetados nos 'airbags' produzidos pela empresa nipónica Takata.

À agência Lusa, o relações públicas da marca em Portugal, Victor Marques, adiantou que no país vão ser chamadas à revisão 950 viaturas (713 Toyota Prius, cinco Toyota Prius Plug-in, e 232 Lexus CT200h.

Segundo o mesmo responsável, os modelos envolvidos são os Toyota Prius e Prius Plug-in (3.ª geração) produzidos entre outubro de 2008 e abril de 2012 e o Lexus CT200h produzidos entre agosto de 2010 e abril de 2012.

Victor Marques explicou que o potencial problema é que as viaturas em questão "estão equipadas com 'airbags' de cortina localizados na lateral esquerda e direita do tejadilho. Cada 'airbag' de cortina contém duas câmaras com um componente soldado. Alguns podem ter uma pequena fissura neste componente na zona soldada que poderá afetar o correto funcionamento do 'airbag' de cortina".

De acordo com o mesmo responsável, o problema estima-se que a reparação dure entre duas a quatro horas por veículo.

Em todo o mundo, são chamados à revisão 1,43 milhões de veículos. A maioria dos automóveis afetados foi vendida no Japão (743.000), América do Norte (495.000) e Europa (141.000), confirmou um porta-voz da empresa à agência Efe.

O líder mundial automóvel detetou pequenas fissuras nas soldaduras do inflador dos 'airbags' laterais dos bancos da frente, o que poderia causar a separação das peças do dispositivo.

Tal poderia levar o inflador (o encapsulado metálico em que se aloja o 'airbag') a sair projetado no caso de ativado o 'airbag', representando, portanto, um risco à segurança dos ocupantes do veículo, apesar de a Toyota não ter, até ao momento, conhecimento de qualquer incidente do tipo, segundo a mesma fonte.

  • Atacantes usaram "tática defendida pelos extremistas do Daesh"
    1:43

    Ataque em Barcelona

    O ex-presidente do Observatório de Segurança, Criminalidade Organizada e Terrorismo esteve em direto, para a SIC Notícias, onde falou sobre o ataque desta quinta-feira nas Ramblas, em Barcelona. José Manuel Anes falou na tática defendida na revista dos extremistas do Daesh e que foi usada neste ataque: a utilização de viaturas "de preferência as mais pesadas para matar o maior número de pessoas".