sicnot

Perfil

Economia

Caldeira Cabral diz não haver "nenhuma perspetiva" de medidas adicionais de contenção

O ministro da Economia disse hoje que não há "nenhuma perspetiva" do Governo de criar medidas adicionais de contenção orçamental e disse estar a encarar "com realismo" a revisão em baixa feita pelo FMI ao crescimento da economia portuguesa.

"Encaramos toda esta situação com realismo e estamos atentos a estes números", afirmou Caldeira Cabral, destacando como "muito positivo" no relatório do FMI a perspetiva assumida de que "o crescimento deverá melhorar ao longo do ano".

O ministro da Economia, que falava à margem da cerimónia de arranque das comemorações do 30.º aniversário da ANJE, no Porto, salientou ainda a perspetiva do FMI de que os objetivos de contas públicas serão "cumpridos também ao longo do ano".

Num comunicado após a conclusão da quarta missão de monitorização pós-programa (e também no âmbito do artigo V) divulgado hoje, o FMI reviu em baixa as previsões de crescimento económico para 1,0%, menos 0,4 pontos percentuais que os 1,4% previstos em abril no World Economic Outlook.

"Estamos num período internacional mais conturbado. O Brexit lançou algumas dúvidas sobre os mercados e, estamos também com uma situação internacional que tem levado algumas instituições internacionais a rever em baixa os números num conjunto muito alargado de países", comentou Caldeira Cabral.

Questionado sobre a revisão em baixa, o governante respondeu que "o FMI normalmente tem sempre expectativas mais pessimistas", salientando porém que "o próprio FMI reconhece no seu relatório que o crescimento em Portugal deverá melhorar ao longo do ano".

Quanto a medidas adicionais de contenção orçamental, o ministro da Economia disse que "não há nenhuma perspetiva disso" e que "em termos orçamentais" Portugal está "no bom caminho".

"Penso que, apesar de condições externas económicas adversas, estamos a conseguir cumprir as metas orçamentais", sublinhou.

Caldeira Cabral realçou ainda que "tanto o FMI como as instituições comunitárias hoje reconhecem que haverá um défice abaixo dos 3%".

O Fundo Monetário Internacional (FMI) está mais pessimista em relação à economia portuguesa, esperando agora que o PIB cresça 1,0% este ano, abaixo do que previa em abril e do que ainda antecipa o Governo.

A instituição liderada por Christine Lagarde justifica a revisão em baixa com o abrandamento da economia portuguesa verificado desde meados do ano passado e com o aumento da incerteza a nível externo.

No comunicado divulgado hoje, o Fundo também reviu ligeiramente em alta a taxa de desemprego deste ano e do próximo, de 11,6% para 11,8% e de 11,1% para 11,3%, respetivamente.

Também nesse sentido, a instituição sediada em Washington defende que avançar com as reformas estruturais "é essencial para estimular a convergência de salários e a criação de trabalho, sobretudo dado o crescimento de desafios demográficos".

Lusa

  • Pablo Bravo: o chileno suspeito de um assalto milionário em Gaia
    6:01

    País

    As autoridades receiam um aumento da violência nos assaltos de redes sul-americanas em Portugal, à semelhança do que tem acontecido noutros países europeus. Pablo Bravo é um chileno com um longo cadastro criminal que, em Portugal, é suspeito de um assalto milionário a um hipermercado, em Gaia e, dias depois, foi detido em flagrante, em Paris, a tentar roubar uma loja de relógios de luxo.

    Notícia SIC

  • Obras para as novas instalações da SIC já começaram
    1:54

    País

    As obras do novo estúdio da SIC e SIC Notícias vão começar. A ampliação do edifício do grupo Impresa vai unir os funcionários do grupo num único espaço, com uma área de 750 metros. O Presidente da Câmara de Oeiras entregou esta terça-feira a licença de obra.

  • Cada vez mais pessoas viajam no Carnaval e Páscoa
    3:08

    Economia

    A procura de viagens na altura do Carnaval e Páscoa tem vindo a aumentar e vários destinos já estão esgotados já que muitas pessoas optam por tirar dias de férias nesta altura do ano. Em contagem decrescente, as agências de viagens não têm tido mãos a medir com promoções e ofertas para destinos variados e adequados a várias bolsas.

  • Jovem indiano acorda a caminho do próprio funeral

    Mundo

    Um jovem indiano chocou os seus pais e amigos, depois de acordar no caminho para o seu próprio funeral. No mês antes, Kumar Marewad foi levado para o hospital após ser mordido por um cão de rua, ficando em estado grave.

  • Carro "desgovernado" entra em loja e atropela cliente

    Mundo

    O cliente de um mini-mercado no condado de Bronx, em Nova Iorque, sobreviveu de forma incrível ao impacto de um automóvel que entrou loja adentro. Apesar da violência das imagens, o homem sobreviveu e conseguiu mesmo sair da loja pelo próprio pé até ser transportado para o hospital.

  • Bilhete de desculpas valeu uma bolsa de estudo

    Mundo

    Um jovem chinês ganhou uma bolsa de estudos no valor de 10 mil yuan (cerca de 1.380 euros), depois de danificar acidentalmente um carro de luxo. Isto, porque após os estragos, o jovem deixou um bilhete de desculpas ao dono, assim como todo o dinheiro que tinha com ele, como compensação.

  • Pulseira deixa sentir os movimentos do bebé ainda na barriga da mãe

    Mundo

    A pulseira Fibo permite que os futuros pais (ou mães) consigam sentir os seus filhos a dar pontapés ainda na barriga da mãe. Desenvolvida por um designer de joias da Dinamarca, a pulseira vai transmitir os movimentos do bebé no útero, de modo a que os pais possam partilhar essa experiência da gravidez.