sicnot

Perfil

Economia

Jordi Gual nomeado presidente do CaixaBank

O Conselho de Administração do CaixaBank, que lançou uma OPA sobre o português BPI, aprovou hoje em Barcelona a nomeação de Jordi Gual como presidente daquele banco espanhol, em substituição de Isidro Fainé.

© Albert Gea / Reuters

"O Conselho de Administração do CaixaBank aceitou a renúncia de Isidro Fainé como presidente da entidade e aprovou a nomeação de Jordi Gual como presidente do executivo do CaixaBank", informa o banco em comunicado, acrescentando que "Gonzalo Gortázar, conselheiro-delegado do CaixaBank continuará a ser o primeiro executivo da entidade".

O banco espanhol com sede em Barcelona explica que "esta decisão parte do cumprimento da Lei 26/2013 das caixas de aforro e fundações bancárias, que estabelece a incompatibilidade entre os cargos de patrono das fundações bancárias e de membro do órgão de governo da entidade bancária de que a fundação é acionista".

O CaixaBank anunciou em abril uma Oferta Pública de Aquisição (OPA) sobre o BPI, depois de o banco espanhol não ter conseguido chegar a entendimento com a angolana Santoro (empresa de Isabel dos Santos e segunda maior acionista do banco, com 18,58%) sobre uma solução para o banco e sobretudo para a redução da exposição a Angola, onde o BPI tem o Banco Fomento de Angola (BFA).

Na OPA, o banco espanhol oferece 1,113 euros por ação e a operação está condicionada à eliminação dos estatutos de bloqueio na entidade financeira portuguesa, que impedem um acionista como o CaixaBank, que tem quase 45% das ações do banco, de ter um poder de voto superior a 20%.

Lusa

  • Segurança da Academia de Alcochete avisado 10 minutos antes do ataque
    1:57
  • "Não acho que seja prudente" o regresso dos atletas à Academia do Sporting
    5:49

    Crise no Sporting

    As agressões aos jogadores e equipa técnica do Sporting, na Academia de Alcochete, foram o tema de uma entrevista a Ana Bispo Ramires, psicologa do desporto. Questionada sobre se os jogadores deveriam regressar ou não à academia, Ana Bispo Ramires diz que não devem fazê-lo e explica que é importante que haja medidas de atuação, o mais rápido possível, para que os atletas e restante equipa técnica do clube possam reprocessar, do ponto de vista cognitivo, as ameaças que sofreram. 

  • É desta que provam a existência do monstro de Loch Ness?

    Mundo

    Para muitos, o monstro de Loch Ness não passa de uma lenda. A verdade é que a existência ou não desta criatura mística continua a suscitar debates entre aqueles que acreditam e os cépticos. Uma equipa internacional de investigadores quer responder finalmente à questão através da recolha de ADN ambiental do Loch Ness, na Escócia.

    SIC