sicnot

Perfil

Economia

Juros da dívida de Portugal a subirem a 2, 5 e 10 anos

Os juros da dívida portuguesa estavam hoje a subir a dois, cinco e dez anos face a quarta-feira, alinhados com os da Irlanda e de Itália. Cerca das 08:50 em Lisboa, os juros da dívida portuguesa a dez anos estavam a subir para 3,096%, contra 3,067% na quarta-feira e 4,084% em 11 de fevereiro, um máximo desde março de 2014.

(Lusa/ Arquivo)

Nos últimos seis meses, os juros a dez anos desceram até ao mínimo de 2,504% em 30 de dezembro do ano passado.

No mesmo sentido, no prazo de cinco anos, os juros estavam a avançar para 1,879%, contra 1,863% na quarta-feira, depois de terem subido até aos 2,768% em 11 de fevereiro, um máximo desde maio de 2014.

O valor mínimo dos últimos seis meses dos juros a cinco anos é de 1,050% e verificou-se a 30 de dezembro passado.

Os juros a dois anos também estavam a subir, para 0,642%, contra 0,630% na véspera e depois de terem subido até 1,225% em 19 de fevereiro passado, um máximo desde junho de 2014.

Nos últimos seis meses, o valor mínimo dos juros a dois anos é de 0,052% e verificou-se em 05 de janeiro passado.

Os juros de Espanha estavam a cair a dois anos e a subir nos prazos mais longos, enquanto os da Grécia estavam a descer a dois anos e a subir a dez anos.

Lusa

  • Como não perder Barack e Michelle Obama nas redes sociais

    Mundo

    Sair da Casa Branca implica mais que reunir objetos físicos: é preciso guardar também os tweets, os posts e todo o conteúdo digital produzido nos últimos oito anos pelo Presidente dos EUA e pela primeira-dama. A equipa de Barack Obama já preparou tudo para que nada se perca do seu legado digital.

  • Portugueses querem contratar Obama

    Mundo

    Contratar Barack Obama. Pode parecer uma tarefa impossível, mas para a startup portuguesa Swonkie a única resposta a este desafio é "Yes We Can", mote da campanha presidencial de Obama de há nove anos.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.